Síndrome de Burnout em professores universitários

Autores

  • Lilian Dias Bernardo Massa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Talita Silvério de Souza Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Isabela Sebastian Vieira Barbosa Sá Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Bárbara Costa de Sá Barreto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Pedro Henrique Tavares Queiroz de Almeida Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Terapia Ocupacional
  • Tatiana Barcelos Pontes Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Terapia Ocupacional

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i2p180-189

Palavras-chave:

Esgotamento profissional/psicologia, Esgotamento profissional/etiologia, Docentes, Saúde ocupacional, Estresse psicológico/etiologia, Estresse psicológico/terapia.

Resumo

O estudo investigou os sinais indicativos da Síndrome de Burnout professores de ensino superior, bem como as estratégias de enfrentamento utilizadas para manter-se na atividade laboral. Participaram 49 professores. Foi aplicada a Escala de Caracterização de Burnout e um questionário para obtenção dos dados demográficos e identificação das estratégias de enfrentamento. Os dados foram analisados e apresentados em estatísticas descritas e a regressão logística foi usada para verificar a associação entre as variáveis demográficas e Burnout. Os resultados apontam que cerca de um quarto dos participantes apresentou sintomas compatíveis com a Síndrome de Burnout. A desumanização foi o item com maior
percentual de alto nível, reportada por 30,6% dos professores. Tendo em vista o caráter multifatorial da síndrome de Burnout, é importante compreender os fatores laborais e psicossociais que podem estar associados ao adoecimento, pois isso pode contribuir para a inserção dos docentes em intervenções voltadas para o bem-estar e qualidade de vida no trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Dias Bernardo Massa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Terapeuta Ocupacional, doutoranda em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ. Professora do Curso de Terapia Ocupacional do IFRJ, atualmente em exercício provisório no curso de TO da UFPR.

Talita Silvério de Souza Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Bolsista do projeto de pesquisa, curso de graduação em Terapia Ocupacional do IFRJ

Isabela Sebastian Vieira Barbosa Sá, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Bolsista do projeto de pesquisa, curso de graduação em Terapia Ocupacional do IFRJ

Bárbara Costa de Sá Barreto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Bolsista do projeto de pesquisa, curso de graduação em Terapia Ocupacional do IFRJ

Pedro Henrique Tavares Queiroz de Almeida, Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Terapia Ocupacional

Professor Assistente - Universidade de Brasília – Curso de Terapia Ocupacional da Faculdade de Ceilândia

Tatiana Barcelos Pontes, Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Terapia Ocupacional

Professora Adjunto - Universidade de Brasília – Curso de Terapia Ocupacional da Faculdade de Ceilândia

Publicado

2016-08-17

Como Citar

Massa, L. D. B., Silva, T. S. de S., Sá, I. S. V. B., Barreto, B. C. de S., Almeida, P. H. T. Q. de, & Pontes, T. B. (2016). Síndrome de Burnout em professores universitários. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 27(2), 180-189. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i2p180-189

Edição

Seção

Artigo Original