Ironia

  • Érika da Silveira Batista
  • Aleksandr Aleksándrovitch Blok
Palavras-chave: Aleksandr Blok, Prosa, Ironia, Humor, Crítica

Resumo

Aleksandr Aleksandrovitch Blok, poeta simbolista russo da Era de Prata, manifestou em prosa, num artigo publicado no jornal “Retch”, em 7 de dezembro de 1908, sua opinião negativa a respeito da ironia com que a intelectualidade da época tratava tudo a seu redor, e que inundava as respectivas obras. Reação natural das almas sensíveis a um século aterrorizante como o Século XIX, segundo Blok, essa mesma ironia, exacerbada, levava à insensibilidade, embotando a capacidade de discernir entre bem e mal, e desacreditando o próprio piadista, cujo pedido de socorro não era captado pelos demais, iludidos pelo riso compulsivo com que ele disfarçava o desespero. Chamando essa condição de “doença contagiosa”, e reconhecendo-se, ele mesmo, vítima de tal epidemia desumanizadora, Blok encontra a causa da “doença” no individualismo e no apego secreto dos escritores aos objetos de suas sátiras, e aponta a renúncia ao próprio egoísmo como única cura viável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érika da Silveira Batista

Tradutora (russoeinglês) e escritora. Responsável pelo projeto Literatura Russa para Brasileiros. Jurista por formação, linguista porpaixão.

Publicado
2018-12-16
Como Citar
Batista, Érika da S., & Blok, A. A. (2018). Ironia. RUS (São Paulo), 9(12), 155-163. https://doi.org/10.11606/issn.2317-4765.rus.2018.148762
Seção
Tradução