Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Corpos dilatados: relações contemporâneas brasileiras entre cena e tecnologias

Marcelo Denny Leite

Resumo


Qual é o papel do corpo nas artes contemporâneas? Certamente esse está na lista dos principais questionamentos da estética. As questões que envolvem o corpo e aquelas que de certa forma o orbitam, como sexualidade, gênero, posse, limites e poder, configuram uma constelação de temas e subdivisões que perpassam o corpo e seus limites, até questões em que a tecnologia cruza por matizes ainda mais complexos, como o cyber body e o corpo pós-humano. É claro que as artes cênicas, em especial a performance e a dança, vão investigar de forma ostensiva as relações do corpo com a tecnologia, campo que na contemporaneidade tomou proporções inumeráveis. Todavia, neste artigo tentaremos apontar algumas relações possíveis entre as tecnologias da imagem e sua relação com o corpo dos atuantes, sejam atores, dançarinos ou performers. Tais relações podem mudar as expressões mais performativas em conjunto com as tecnologias que permitem um diálogo visando ampliar aproximações entre corpo/cena e também corpo/tecnologia.


Palavras-chave


Performance, Teatro, Arte do corpo, Arte e tecnologia, Expansão corporal.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, P. Arte e mídia: perspectivas da estética digital. São Paulo: Editora Senac, 2005.

BAUDRILLARD, J. Tela-total: mito-ironias da era do virtual e da imagem. São Paulo: Sulina, 1997.

BAUGH, C. Theatre, performance, and technology. Nova York: Palgrave, 2005.

BIRRINGER, J. Performance, technology, and science. Nova York: PAJ, 2008.

COHEN, R. Performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1989.

DOMINGUES, Diana. Desafios da ciberarte: corpo acoplado e sentir ampliado. In:

SANTAELLA, L. Mídias e artes: Os desafios da arte no início do século XXI. São Paulo: UNIMARCO, 2002.

FREUD, S. O futuro de uma ilusão, O Mal-Estar na civilização e outros trabalhos (1927-1931). Rio de Janeiro: Imago, 1996.

GOLDBERG, R. A arte da performance, do futurismo ao presente. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GREINER, C. O corpo: pistas para estudos indisciplinares. São Paulo: Annablume, 2005.

______. Performance live art since the 60s. Londres: Thames & Hudson, 2004.

GLUSBERG, J. A Arte da Performance. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LEHMANN, H.-T. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. São Paulo: Sulina, 2002.

MELLO, C. Extremidades do vídeo. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2008.

JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2006.

RANCIÈRE, J. Espectador emancipado. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

RUSH, M. Video art. Londres: Thames & Hudson, 2007.

______. Novas mídias na arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SANTAELLA, L. Culturas e artes do pós-humano, da cultura à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

______. Mídias e artes: os desafios da arte no início do século XXI. São Paulo: UNIMARCO, 2002.

TRIBE, Mark. New media art. Lisboa: Taschen, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v15i2p136-148

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.