Teatro que interroga o tempo: Christiane Jatahy se distancia do lugar-comum na conjugação entre passado e presente

  • Daniel Schenker Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Teatro, cinema, presente, passado

Resumo

O artigo aborda a pesquisa da diretora Christiane Jatahy em torno
da interface teatro/cinema em duas montagens (Julia e E se elas fossem
para Moscou?) resultantes de apropriações de peças de autores
historicamente vinculados à dramaturgia realista (Senhorita Júlia, de
August Strindberg, e As três irmãs, de Anton Tchekhov). A diretora
promove deslocamentos temporais, entrelaçando passado e presente
por meio da inclusão do aparato multimídia na cena e da realização
de operações dramatúrgicas que imprimem sonoridade contemporânea
e confirmam a atualidade das questões lançadas por textos
escritos entre o final do século XIX e o início do XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Schenker, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.
Publicado
2015-12-23
Como Citar
Schenker, D. (2015). Teatro que interroga o tempo: Christiane Jatahy se distancia do lugar-comum na conjugação entre passado e presente. Sala Preta, 15(2), 288-301. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v15i2p288-301
Seção
DOSSIÊ ESPETÁCULO