O teatro sob a tempestade: uma leitura crítica de A tempestade, de Augusto Boal

  • Patricia Freitas dos Santos Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Teatro político, exílio, Augusto Boal

Resumo

Escrita no período de maior isolamento profissional de Augusto Boal, A tempestade, a um só tempo, traz um balanço histórico das reiteradas derrotas políticas e artísticas da esquerda latino-americana, bem como uma resposta à paralisia largamente propagada pelos regimes ditatoriais a partir da década de 1960. A leitura que se pretende apresentar possui como principal ponto de partida a relação dialética que a obra estabelece com seu momento histórico e com o trabalho teatral produzido por Boal até então.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Freitas dos Santos, Universidade de São Paulo

Mestra em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações
e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP)

Referências

BOAL, Augusto. A tempestade e As Mulheres de Atenas. Lisboa: Plátano, 1979.

____________Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

____________Técnicas latino-americanas de teatro popular. Coimbra: Editora Centelha, 1977.

____________Hamlet e o filho do padeiro. Rio de Janeiro: Record, 2000.

____________ “Arthur Jainer entrevista Augusto Boal”. In: The Village Voice, 10/07/1974.

____________ “An Interview with Augusto Boal”. In: The Latin American Theatre Review. Vol. 09, Nov/1974, pgs. 71-78.

___________ [Carta] 26 dez. 1975, Buenos Aires [para] BUARQUE, Chico, Rio de Janeiro, 2f.

BOAL, Cecília. [Entrevista] 18 ab. 2014, São Paulo [para] SANTOS, Patricia Freitas dos.

CÉSAIRE, Aimé. A Tempest: Based on Shakespeare’s “The Tempest” Adaptation for a Black Theatre. New York: TCG Translations, 2002.

FANON, Frantz. Black Skin, White Masks. New York: Grove, 1994.

JAMESON, Fredric. The Political Unconscious. Narrative as a socially symbolic act. London: Routledge, 1981.

KOTT, Jan. Shakespeare, nosso contemporâneo. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LAMMING, George. The Pleasures of Exile. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1999.

PONCE, Aníbal. Humanismo burgués y humanismo proletario. México: Ediciónes Solidariedad, 1969.

RETAMAR, Roberto Fernández. Todo Caliban. Buenos Aires: Clacso, 2004.

SHAKESPEARE, William. The tempest. London: The Royal Shakespeare Company, 2008.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
Santos, P. (2018). O teatro sob a tempestade: uma leitura crítica de A tempestade, de Augusto Boal. Sala Preta, 18(1), 85-97. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i1p85-97
Seção
BRASIL