A presença infantil e o lugar do espectador em práticas cênicas com crianças: os alcances da crise da representação nas infâncias cubanas

Palavras-chave: Crise da representação, Presença infantil, Espectador criança, Jogo, Teatralidade, Performatividade.

Resumo

Os estudos sobre a presença infantil na cena e o lugar do espectador
criança no contexto cubano vêm encarando grandes desafios a partir
dos impactos da chamada crise da representação. Esse é um fenômeno que manifesta a tensão presente no modelo de representação da Primeira Modernidade que instaurou as equivalências entre o representante e o representado, trazendo para as culturas infantis uma alteração
radical do simbólico, situando as crianças cubanas num entrelugar. Nesse
sentido, o artigo expõe os fenômenos que em Cuba vêm incidindo na
configuração da presença infantil e do lugar do espectador em práticas
cênicas infantis, a partir do jogo, da performatividade e da teatralidade,
bem como aborda as razões do poder da representação no teatro entre as crianças e os adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luvel Garcia Leyva, Universidade de São Paulo
Doutorando do PPG em Artes Cênicas da ECA-USP.

Referências

AGAMBEN, G. O que é o contemporâneo?: e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

______. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Trad. Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

BHABHA, H. K. El lugar de la cultura. Buenos Aires: Manantial, 2002.

BECK, U. La sociedad del riesgo global. Madri: Siglo XXI, 2002.

DA SILVA, M. A presença da criança nos espetáculos da Socìetas Raffaello Sanzio. Urdimento, Florianópolis, v. 2, n. 23, p. 132-148, dez. 2014.

DERRIDA, J. Envío. Discurso inaugural del XVIII congreso de la Sociedad francesa de filosofía sobre el tema la representación. In: ______. La desconstrucción en las fronteras de la filosofía. Trad. Patricio Peñalver. Madrid: Paidós, 1996. Disponível em: <http://www.egs.edu/faculty/jacques-derrida/articles/envio/#> Acesso em: 27 abr. 2015.

______. El teatro de la crueldad y la clausura de la representación. In: ______. La escritura y la diferencia. Trad. Patricia Peñalver. Barcelona: Anthropos, 1989. p. 318-343.

DIEGUEZ, I. Escenarios liminales: teatralidades, performances, políticas. Ciudad de México: Toma, 2014.

______ . Cenários expandidos. (Re)presentações, teatralidades e performatividades. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 15, p. 135-148, out. 2010.

FÉRAL, J. Além dos limites: teoria e prática do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

______. Performance e performatividade: o que são os estudos performáticos? In: MOSTAÇO, E. et al. (org.). Sobre performatividade. Santa Catarina: UESC, 2009. p. 49-86.

______. Por uma poética da performatividade: o teatro performativo. Sala Preta, São Paulo, v. 8, p. 197-210, nov. 2008. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/57370>. Acesso em: 8 maio 2015.

FISCHER-LITCHE, E. Estética de lo performativo. Madri: Abada, 2011.

GARCÍA, L. Del niño actor al niño performer: concepciones pedagógicas en la historia del teatro con niños. La Habana: Caminos, 2009.

______. Em busca de uma semântica do teatro infantil: algumas reflexões à luz da contemporaneidade. Aspas, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 27-38, fev. 2014. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/aspas/article/view/86291>. Acesso em: 29 nov. 2016.

______. Apontamentos sobre a semântica do teatro infantil no contexto teatral cubano. In: Teatro: criação e construção de conhecimento, [s.l.], v. 4, n. 5, jul. 2016. Disponível em: <https://sistemas2.uft.edu.br:8004/index.php/teatro3c/article/view/2374>. Acesso em: 30 nov. 2016.

______. De la representación infantil al ludus performance. Blog Teatrin Viajero, Centro Molinos de Venezuela, Caracas, 2006. Disponível em: <http://teatrinviajero.blogia.com/2006/060101--strong-de-la-representacion-infantil-al-em-ludus-em-performance-strong-.php>. Acesso em: 18 ago. 2014.

GRÜNER, E. De las representaciones, los espacios y las identidades en conflicto. In: LOBETO, C. (Org.). Prácticas socioestéticas y representaciones en la Argentina de la crisis. Buenos Aires: Gesac, 2004. p. 7-18.

LARROSA, J. Sobre la experiencia. Aloma: revista de psicologia, ciències de l'educació i de l’esport Blanquerna, Catalunha, n. 19, p. 87-112, 2006. Disponível em: . Acesso em: 9 mai. 2015.

______. Dar a palavra: notas para uma dialógica da transmissão. In: LARROSA, J.; SKLIAR, C. Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Trad. Semíramis Gorini da Veiga. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 281-295.

LOTMAN, I. La semiosfera III: semiótica de las artes y de la cultura. Trad. Desiderio Navarro. Madri: Frónesis; Cátedra Universitat de València, 2000. p. 57-85.

MUGUERCIA, M. El cuerpo cubano: teatro, performance y política en Cuba, 1992-2005. Buenos Aires: Celcit, 2007.

NAVARRO, D. Introducción al Ciclo La política cultural del período revolucionario: memoria y reflexión. Revista Criterios, Havana, 2007. Disponível em: <http://www.criterios.es/pdf/navarrointrociclo.pdf>. Acesso em: 21 jul. 2014.

PUPO, M. L. de S. B. Para alimentar o desejo de teatro. São Paulo: Hucitec, 2015.

______. Para desembaraçar os fios. Educação e realidade, Dossiê Arte, Criação e Aprendizagem, Porto Alegre, v. 30, n. 2, p. 217- 228, jul./dez. 2005.

____. O lúdico e a construção do sentido. Sala Preta, São Paulo, v. 1, p. 181-187, set. 2001. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/57023>. Acesso em: 3 mai. 2015.

RYNGAERT, J-P. Jogar, representar. Práticas dramáticas e formação. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

Publicado
2017-07-17
Como Citar
Leyva, L. (2017). A presença infantil e o lugar do espectador em práticas cênicas com crianças: os alcances da crise da representação nas infâncias cubanas. Sala Preta, 17(1), 282-308. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v17i1p273-299
Seção
EM PAUTA