Aproximações críticas entre os espetáculos Nós e O ano em que sonhamos perigosamente

  • Pollyanna Diniz Escola de Comunicação e Artes - Universidade de São Paulo (ECA-USP)
Palavras-chave: Teatro político, Teatro de grupo, Teatros do real.

Resumo

O artigo traz possibilidades de análises críticas e aproximações entre os espetáculos Nós (2016), do grupo mineiro Galpão, em atividade desde 1982, e O ano em que sonhamos perigosamente (2015), montagem mais recente do grupo de teatro pernambucano Magiluth, que possui doze anos de atuação. O texto problematiza questões relacionadas à teatralidade, ao teatro político, aos teatros do real, ao jogo como possibilidade de construção de uma teatralidade e à recepção. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pollyanna Diniz, Escola de Comunicação e Artes - Universidade de São Paulo (ECA-USP)
Mestranda do PPG em Artes Cênicas da ECA-USP.

Referências

CASTRO, G. Entrevista concedida a P. Diniz e I. Moura. 4 ago. 2015.

CABALLERO, I. D. Cenários liminares: teatralidades, performances e política. Trad. Luis Alberto Alonso e Angela Reis. Uberlândia: EDUFU, 2011.

DORT, B. O teatro e sua realidade. São Paulo: Perspectiva, 2010.

FÉRAL, J. Além dos limites: teoria e prática do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FERNANDES, S. Teatralidades contemporâneas. São Paulo: Perspectiva, 2010.

GUMBRECHT, U. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Trad. Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto/PUC-Rio, 2011.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura, 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2012.

LAVAL, C.; DARDOT, P. A nova razão do mundo: ensaios sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016. (Coleção Estado de Sítio)

MOSTAÇO, E. À guisa de editorial: desafios do teatro político. Urdimento, Revista de Estudos em Artes Cênicas, Udesc, Florianópolis, v. 1, n. 26, p. 3-8, 2016.

PAVIS, P. Uma redefinição do teatro político. Sala Preta, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 171-175, 2013..

SAFATLE, V. O circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

TCHEKHOV, A. O jardim das cerejeiras. Trad. Jorge Maricato. Disponível em: <http://maricato.net/m/textos/O_Jardim_das_Cerejeiras-v1.3.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2015.

Publicado
2017-07-17
Como Citar
Diniz, P. (2017). Aproximações críticas entre os espetáculos Nós e O ano em que sonhamos perigosamente. Sala Preta, 17(1), 353-367. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v17i1p344-358
Seção
SALA ABERTA