Joaquim Manuel de Macedo, historiador e dramaturgo

  • João Cícero Teixeira Bezerra Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: história da historiografia, nacionalismo, Romantismo

Resumo

Este artigo discute o trânsito da produção historiográfica e dramatúrgica de Joaquim Manuel de Macedo em sua lida com questões caras ao debate entre teatro e história. Nessa direção, analisa-se o livro didático Lições de história do Brasil e a peça teatral Cobé. A partir de uma leitura das obras se esclarece o quanto o pensamento do escritor se deixa permear pela formatação textual de cada veículo, abrindo-se em interpretações distintas. Para a análise das obras, agenciam-se leituras de textos teóricos e historiográficos com o intuito de elucidar a relação entre escrita histórica e ficcional na obra do autor. No caso estudado, verifica-se como o período colonial e o tema indianista ganham cores distintas e pragmática específica em cada obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Cícero Teixeira Bezerra, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Pós-doutor em Artes Cênicas pela Universidade
Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)

Referências

ALENCAR, José de. Mãe. Rio de Janeiro: Tipografia Paula Brito, 1862.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. Vida privada e ordem privada no Império. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe; RENAUX, Maria Luiza. História da Vida Privada no Brasil. Vol. 2: Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Os índios na História do Brasil no século XIX: da invisibilidade ao protagonismo. Revista História Hoje, 2012.

ASSIS, Machado. Obras completas de Machado de Assis: Crítica teatral. Rio de Janeiro: Livro do Mês S.A, 1961.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

CALDEIRA, Ana Paula Sampaio; MACEDO, Adriana Mattos Clen. Ramiz Galvão, historiador e bibliotecário: práticas e lugares da produção historiográfica no Brasil de fins do século XIX e início do século XX, p. 43-58, 2016. Disponível em: :https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1123/647. Acesso em: 03/04/2017.

FAUSTO, Boris. História Concisa do Brasil. São Paulo: Edusp, 2015.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 7. ed. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

MACEDO, Joaquim Manuel de. Lições de história do Brasil para uso de escolas de instrução primária. Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 1861.

____. Lições de história do Brasil para uso de escolas de instrução primária. 9. Ed. Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 1905.

____. Corografia do Brasil. Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 1873.

____. Cobé. In: Coleção Clássicos do Teatro Brasileiro – Joaquim Manuel de Macedo. Teatro completo 2. Rio de Janeiro: Funarte, 1979.

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Trad. Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

MICHELAN, Kátia Brasilino. Ceuta, para além da terra dos mouros: a fabricação histórica de um marco do império português (século XV e início do XVI). Franca: [s.n.], 2013.

RAMINELLI, Ronald. Imagens da colonização – a representação do índio de Caminha a Vieira. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1996.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O Espetáculo das Raças: Cientistas, Instituições e Questão Racial no Brasil. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SECO, Ana Paula. A educação que emerge dos livros de viagens. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/periodo_imperial.html. Acesso em: 02/02/2017.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno [1880-1950]. Trad. Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
Bezerra, J. C. (2018). Joaquim Manuel de Macedo, historiador e dramaturgo. Sala Preta, 18(1), 181-206. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i1p181-206
Seção
HISTÓRIA