Cena teatral contemporânea

o coro, o nômade, a potência trágica

  • Carmem Gadelha Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Abordagem ético-política da tragicidade na cena teatral contemporânea. Trata-se de observar
a eclosão de figurações do corpo ferido daqueles que se encontram em condições de cidadania precária. A
atenção se volta para a polifonia dessas expressões minoritárias em aspectos de lirismo coral – um
trânsito por processos de subjetivação. Põem-se em questão os espaços da cidade e do palco, verificando
neles articulações entre as tramas de construção do moderno em suas diferenças com a cena atual. As
trajetórias se fazem no transitar entre a personagem individual e as múltiplas vozes da multidão.
Verificam-se encontros do arcaico com a sociedade superinformada. O artigo traz, na segunda parte e a
título de exemplo, apontamentos breves sobre espetáculos recentemente produzidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmem Gadelha, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Professora Associada da Escola de Comunicação da UFRJ, graduação e pós-graduação. Mestre e Doutura en Comunicação e Cultura, pela mesma instituição. Graduada em Teoria do Teatro, pela UNI-RIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro). Autora, Com Edwaldo Cafezeiro, de "História do teatro brasileiro" (FUNARTE, UFRJ, UERJ) e de "Corpo, espaço, tempo - indagações sobre poética do teatro" (Rio, Editora Aretê, 2013). Publicou inúmeros ensaios e artigos em jornais e revistas especializados. Sua pesquisa atual versa sobre o trágico na cena contemporânea.
Publicado
2018-12-28
Como Citar
Gadelha, C. (2018). Cena teatral contemporânea. Sala Preta, 18(2), 131-142. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i2p131-142
Seção
SALA ABERTA