Odisseia que patina maneirista em belo achado

  • Luiz Fernando Ramos Universidade de São Paulo

Resumo

Resenha crítica sobre o espetáculo de Cristina Jatahy, que estreou em Paris no Teatro Odeon e foi apresentado em Portugal. O espetáculo foi produzido no Brasil, em São Paulo, no Teatro do SESC Consolação. Apesar da sofisticação cenotécnica e da combatividade feminista, além da reverberação da questão migratória na Europa, o espetáculo faz opções dramatúrgicas que ao mesmo tempo o singularizam e o prejudicam. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Ramos, Universidade de São Paulo

Professor Associado do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo, leciona História e Teoria do Teatro desde 1998. Pesquisador do CNPq A1d. Co-Editor da revista Sala Preta entre 2000 e 2010. Editor responsável a partir de 2014.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
Ramos, L. F. (2018). Odisseia que patina maneirista em belo achado. Sala Preta, 18(2), 158-161. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i2p158-161
Seção
RESENHA CRÍTICA