A performatividade na dança

Autores

  • Karina Almeida Escola Superior de Artes Célia Helena
  • Sayonara Pereira Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v20i1p173-184

Palavras-chave:

Dança, Performatividade, Coreografia, Artes da cena, Corpo

Resumo

Este artigo discute como as noções de coreografia, corporeidade e performatividade vem sendo exploradas de um modo experimental desde os anos 1960. Discute-se a noção de performativo na dança através de uma breve análise da peça What the body does not remember (1987), do coreógrafo belga Wim Vandekeybus. Do ponto de vista teórico, Féral, Schechner, Preston-Dunlop e Hantelmann são as principais referências propostas para esta discussão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Almeida, Escola Superior de Artes Célia Helena

Pós-doutoranda na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Professora de estudo e prática corporal na Escola Superior de Artes Célia Helena.

Sayonara Pereira, Universidade de São Paulo

Professora efetiva da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Diretora do Laboratório de Pesquisas e Estudos em Tanz Theatralidades (Lapett) no Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP.

Referências

ALMEIDA, K. C. Entre-territórios: a dança como catalisadora de diferentes noções de composição. 2016. Tese (Doutorado em Artes da Cena) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

AUSTIN, J. L. How to do things with words: the William James lectures delivered at Harvard University in 1955. Oxford: Clarendon, 1962.

BANES, S. Terpsichore in sneakers: post-modern dance. Middletown: Wesleyan, 1987.

BONFITTO, M. O ator-compositor: as ações físicas como eixo: de Stanislávski a Barba. São Paulo: Perspectiva, 2009.

FÉRAL, J. Por uma poética da performatividade: o teatro performativo. Revista Sala Preta, São Paulo, n. 8, p. 197-210, 2008.

FISCHER-LICHTE, E. The transformative power of performance: a new aesthetics. London: Routledge, 2008.

HANTELMANN, D. The experiential turn. In: CARPENTER, E. (ed.). On Performativity. Minneapolis: Walker Art Center, 2014. (Living Collections Catalogue, v. 1.). Disponível em: https://bit.ly/2ZxLnsB. Acesso em: 3 jul. 2020.

KEERSMAEKER, A. T.; CVEJIC, B. A choreographer’s score: Fase, Rosas danst Rosas, Elena’s Aria, Bartók. New Haven: Yale University Press, 2012.

LEPECKI, A. (ed.). Dance. Cambridge: MIT Press, 2012. (Whitechapel: documents of contemporary art).

PRESTON-DUNLOP, V.; SANCHEZ-COLBERG, A. Dance and the performative: a choreological perspective: Laban and beyond. London: Dance Books, 2010.

SCHECHNER, R. Performance studies: an introduction. London: Routledge, 2006.

SONTAG, S. Against interpretation. In: SONTAG, S. Against interpretation and other essays. New York: [s. n.], 1966. p. 3-14.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

Almeida, K., & Pereira, S. (2020). A performatividade na dança. Sala Preta, 20(1), 173-184. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v20i1p173-184

Edição

Seção

SALA ABERTA