CONFLITOS E INTERESSES ATLÂNTICOS NA CAPITANIA DE ANGOLA: O GOVERNO DE JOÃO FERNANDES VIEIRA, 1658 A 1661

  • Leandro Nascimento de Souza Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Administração portuguesa, História de Angola, Tráfico Atlântico.

Resumo

O principal objetivo deste artigo é analisar as ações de João Fernandes Vieira como governador da capitania de Angola, no período de 1658 a 1661. E de como sua gestão estava relacionada aos seus interesses na produção açucareira e tráfico de escravizados nas capitanias de Pernambuco e Paraíba. Através de uma historiografia clássica, de manuscritos do Arquivo Histórico Ultramarino, da documentação publicada pelo padre Antonio Brásio, na Monumenta Missionária Africana, pretende-se analisar os conflitos e negociações que aconteceram nesse contexto, os jogos de poder e de como influenciaram os interesses lusitanos no Atlântico da segunda metade do século XVII.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Nascimento de Souza, Universidade Federal Fluminense
Doutorando em história social pela Universidade Federal Fluminense, atualmente pesquisa as fronteiras sociais na Capitania de Angola, segunda metade do século XVII, orientado pelo prof. Dr. Alexandre Vieira Ribeiro. Mestre em história pela Universidade Federal de Pernambuco, a qual realizou pesquisa sobre o governo de João Fernandes Vieira em Angola, orientado pelo prof. Dr. José Bento Rosa da Silva. Especialista em história da África pela Fundação de Ensino Superior de Olinda. Graduado em história pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Foi professor de história da África no departamento de história da Fundação de Ensino Superior de Olinda, entre 2012 e 2015.
Publicado
2017-08-18
Como Citar
Souza, L. (2017). CONFLITOS E INTERESSES ATLÂNTICOS NA CAPITANIA DE ANGOLA: O GOVERNO DE JOÃO FERNANDES VIEIRA, 1658 A 1661. Sankofa (São Paulo), 10(19), 146-169. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2017.137200
Seção
Artigos