Hypolita: tensões e solidariedades nas negociações da liberdade

  • Antônia Márcia Nogueira Pedroza Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Muirakytan K. de Macêdo Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Escravidão, Liberdade, Tensão

Resumo

Propomo-nos, neste artigo analisar alguns indícios da história de Hypolita Maria das Dores, mulata que nasceu livre e foi escravizada, no Crato (Ceará) e no Exu (Pernambuco), lugares em que viveu, no século XIX. O principal objetivo deste trabalho consiste em compreender como se estabelecem as solidariedades e tensões em um processo de ação de liberdade em espaços diferenciados. Numa abordagem que se insere no campo da história social das mulheres, Hypolita é tomada como sujeito de sua história, que luta pela sua liberdade e pela liberdade de seus filhos. Nossa estratégia de trabalho, a indiciária, está fundamentada na micro-história italiana. O corpus documental que permite tal verticalização investigativa é formada por textos do jornal O Araripe, inventários post-mortem e livros paroquiais de casamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônia Márcia Nogueira Pedroza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Mestranda em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN
Muirakytan K. de Macêdo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Orientador. Professor do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Doutor em Ciências Sociais.
Publicado
2013-01-06
Como Citar
Pedroza, A. M., & Macêdo, M. (2013). Hypolita: tensões e solidariedades nas negociações da liberdade. Sankofa (São Paulo), 6(10), 7-34. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2013.88892
Seção
Artigos