Narrativas de uma viagem permanente: a produção fílmica de Herbert Duschenes

  • Paola Prestes Penney Universidade de São Paulo
Palavras-chave: documentário, filme amador, home movie, Duschenes

Resumo

Este artigo aborda os filmes realizados por Herbert Duschenes, arquiteto e professor de história da arte alemão radicado no Brasil em 1940. Nunca antes estudados e assistidos apenas por amigos, membros da família e por alunos, nosso objetivo é conferir aos filmes uma leitura que vai além do âmbito doméstico e didático que lhes foi originalmente reservado, analisando-os como home movies, ou filmes amadores, pertencentes ao campo do cinema documentário. Como parte da pesquisa, os duzentos e vinte sete curtas-metragens do acervo foram digitalizados e catalogados, sendo agora estudados à luz de conceitos de teóricos como Roger Odin e Arlindo Machado, que têm desenvolvido pesquisas sobre esse tipo de produção, contribuindo para a reflexão acerca das fronteiras do documentário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paola Prestes Penney, Universidade de São Paulo
Documentarista pela Serena Filmes e doutoranda na Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, Programa de Pós-graduação em Meios e Processos Audiovisuais.

Referências

BORGES, C. “Mais perto do coração selvagem (do cinema)”. In: GONÇALVES, O. (org.). Narrativas sensoriais: ensaios sobre cinema e arte contemporânea. Rio de Janeiro: Circuito, 2014, p. 41-59.

COLLEYN, J.-P. (org.). Jean Rouch: cinéma et anthropologie. Paris: Cahiers du Cinéma; INA, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Qu’est-ce que la philosophie? Paris: Minuit, 1991.

DUSCHENES, H. Autobiografia. Curitiba: manuscrito, 2003.

LEACOCK, R. “Filmmaking – What we mean by it”. In: Essays, 1996, disponível em www.richardleacock.com. Acesso 4/02/2016.

___________ “The art of home movies or To hell with the professionalism of television and cinema producers”. In: Essays,1993, disponível em www.richardleacock.com. Acesso 4/02/2016.

LÉVI-STRAUSS, C. Tristes Tropiques. Paris : Plon, 2011.

LINS, C.; BLANK, T. “Filmes de família, cinema amador e a memória do mundo”. Significação, n. 37, 2012, p. 53-74. Disponível em http://www.revistas.usp.br/significacao/article/view/71254. Acesso 3/04/2015.

MACHADO, A. “Novos territórios do documentário”. Doc On-line Revista Digital de Cinema Documentário. Campinas, n. 11, dez. 2011, p. 5-24. Disponível em http://www.doc.ubi.pt/11/dossier_arlindo_machado.pdf. Acesso 31/10/2015.

_______. O sujeito na tela: modos de enunciação no cinema e no ciberespaço. São Paulo: Paulus, 2007.

MEKAS, J.; MOURÃO, P. (org.). Jonas Mekas. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil; Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária – USP, 2013.

MORIN, E. Le cinema ou l´homme imaginaire : essai d´anthropologie. Paris: Les Editions de Minuit, 2013.

ODIN, R. “Filme documentário, leitura documentarizante”. Significação, n. 37, 2012, p. 10-30. Disponível em http://www.usp.br/significacao/pdf/37_odin.pdf. Acesso 30/11/2015.

______ “El film familiar como documento - Enfoque semioprágmatico”. Archivos de la Filmoteca, Valencia, v. II, n. 57-58, 2007, p. 197-217. Disponível em http://www.archivosdelafilmoteca.com/index.php/archivos/article/view/193/196. Acesso 6/01/2016.

______ (org.). Le film de famille : Usage privé, usage public. Paris : Méridiens Klincksieck, 1995.

PIAULT, C. “Films de famille et films sur la famille”. Journal des Anthropologues. n. 94-95, fev. 2009, p. 285-298. Disponível em http://jda.revues.org/1912. Acesso 6/01/2016.

REBELLO, P.; SAMPAIO, R. (orgs.). Péter Forgács: Arquitetura da memória. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2012.

SALLES, J. M. “A dificuldade do documentário”. In: MARTINS, J. Souza; ECKERT, C.; NOVAES, S. C. (orgs.). O imaginário e o poético nas ciências sociais. Bauru, SP: EDUSC, 2005, p. 57-71.

TOUSIGNANT, N. (org.). Le film de famille – Actes de la rencontre autour des inédits tenue à Bruxelles en novembre 2000. Bruxelles: Publications de facultés Universitaires Saint-Louis, 2004.

XAVIER, I. A experiência do cinema: Antologia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2003.

Webgrafia

http://sites.itaucultural.org.br/ocupacao/#!/pt/artistas/641/maria-e-herbert-duschenes/1/inicio. Acesso 30/04/2016.

Publicado
2016-08-27
Como Citar
Penney, P. (2016). Narrativas de uma viagem permanente: a produção fílmica de Herbert Duschenes. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 43(45), 167-186. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2016.111478