Picture ahead: a Kodak e a construção do turista-fotógrafo

  • Lila Foster Universidade de São Paulo
Palavras-chave: fotografia amadora, turismo, cultura visual, dispositivo, Kodak.

Resumo

Picture ahead: a Kodak e a construção do turista fotógrafo realiza uma incursão pela história da cultura visual do século XX tendo como perspectiva a constituição de um imaginário que uniu fotografia amadora e turismo. Como mediadora dessa inter-relação estava a Kodak, empresa que, através da publicidade e de campanhas de marketing, fomentou modos de produção e consumo da imagem fotográfica. Ancorado no conceito de dispositivo, o livro explicita o modo como a empresa agenciou diversos imaginários sobre o turista-fotógrafo sem abandonar a referência a fontes diversas e a cultura visual contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lila Foster, Universidade de São Paulo

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA – USP), mestre em Imagem e Som pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de São Carlos (PPGIS) e formada em Filosofia (2005) pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH – USP). Articulando pesquisa histórica e preservação audiovisual, o seu trabalho concentra-se no levantamento
da produção amadora e de filmes domésticos no Brasil. Trabalhou como catalogadora na Cinemateca Brasileira e, no primeiro semestre de 2010, participou do programa de estágios em preservação e curadoria audiovisual da Haghefilm Foundation (Amsterdam), sob a orientação de Paolo Cherchi Usai. Desde 2010, organiza o Dia do Filme Caseiro e atua como curadora do eixo histórico no Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super-8 de Curitiba.

Referências

AQUINO, L. Picture ahead: a Kodak e a construção do turista-fotógrafo. São Paulo: Edição do Autor, 2016.

BLANK, T. C. Da tomada à retomada: origem e migração do cinema doméstico brasileiro. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

BOSI, M. M. Filmes de família e construção de lugares de memória: estudo de um material Super-8 rodado em Fortaleza e de sua retomada em Supermemórias. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016.

BRASIL, A. C.; MIGLIORIN, C. A. “Biopolítica do amador: generalização de uma prática, limites de um conceito”. Revista Galáxia: Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, São Paulo, n. 20, p. 84-94, dez. 2010.

DIOGO, L. A. Vídeos de família: entre os baús do passado e as telas do presente. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011.

FELDMAN, I. “A ascensão do amador: ‘Pacific’ entre o naufrágio da intimidade e os novos regimes de visibilidade”. Ciberlegenda: Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense, Niterói, n. 26, p. 179-190, jan./jun. 2012.

FOSTER, L. S. Cinema amador brasileiro: história, discursos e práticas (1926-1959). Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

PENNEY, P. P. “Narrativas de uma viagem permanente: a produção fílmica de Herbert Duschenes”. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 43, n. 45, p. 167-186, ago. 2016.

PEREIRA, A. M. Lentes da memória: a descoberta da fotografia de Alberto Sampaio (1833-1930). Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2016.

POLYDORO, F. S. Vídeos amadores de acontecimentos: realismo, evidência e política na cultura visual contemporânea. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

Publicado
2017-12-19
Como Citar
Foster, L. (2017). Picture ahead: a Kodak e a construção do turista-fotógrafo. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 44(48), 230-237. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.137654