Revolucionários, ditadura e ruínas ao som de Villa-Lobos

  • Luíza Beatriz Alvim Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Palavras-chave: Cinema Novo, Villa-Lobos, história, ruína, Walter Benjamin

Resumo

Partimos de conceitos de Walter Benjamin e analisamos, nos filmes O desafio (Paulo César Saraceni, 1965), Terra em transe (Glauber Rocha, 1967) e Os herdeiros (Carlos Diegues, 1970), as sequências com música de Villa-Lobos que evocam tanto a ideia da história como catástrofe quanto o filme Deus e o diabo na terra do sol (Glauber Rocha, 1964), com o qual tais filmes se relacionam também pelo elemento do travelling. Porém, diferentemente da utopia do filme de 1964, feito antes do Golpe Militar, a instalação da ditadura traz para os personagens idealistas o sentimento catastrófico, que, a partir de Benjamin, pode ser entendido também como potência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luíza Beatriz Alvim, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Pós-doutoranda em Música na UFRJ. Pesquisa financiada pela Capes.

Referências

ALVIM, L. “A música de Villa-Lobos nos filmes de Glauber Rocha dos anos 60: alegoria da pátria e retalho de colcha tropicalista.” Significação - Revista de Cultura Audiovisual, v.42, n.44, 2015.

BENJAMIM, W. Origem do drama barroco alemão. São Paulo: Brasiliense, 1984.

______ . “Sobre o conceito da História”. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre Literatura e História da Cultura. Obras escolhidas, volume I. São Paulo: Brasiliense, 2008.

GUERRINI JR, I. A música no cinema brasileiro: os inovadores anos sessenta. São Paulo: Terceira Margem, 2009.

JOHNSON, R.; STAM, R. Brazilian Cinema. Exp. ed. New York: Columbia University Press, 1995.

KACHANI, M. “Maio de 68, junho de 2013”. Entrevista com João Moreira Salles publicada no blog Inconsciente Coletivo do Estadão em 21 nov. 2017. Disponível em http://brasil.estadao.com.br/blogs/inconsciente-coletivo/maio-de-68-junho-de-2013/ Último acesso: 21 dez. 2017.

MAGALHÃES, M. R.; STAM, R. “Dois encontros do líder com o povo: uma desconstrução do populismo.” In: GERBER, R. et al. Glauber Rocha. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

ROCHA, G. Revolução do Cinema Novo. Rio de Janeiro: Alhambra/Embrafilme, 1981.

STILWELL, R. “The fantastical gap between diegetic and nondiegetic.” In: GOLDMARK, D.; KRAMER, L.; LEPPERT, R. (org.). Beyond the soundtrack: representing music in cinema. Los Angeles: University of California Press, 2007.

WISNIK, J. M. “Getúlio da paixão cearense.” In: WISNIK, J. M.; SQUEFF, E. O nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983.

XAVIER, I. Alegorias do subdesenvolvimento: Cinema Novo, Tropicalismo, Cinema Marginal. São Paulo: Brasiliense, 1993.

______ . “Allégorie historique et théâtralité chez Glauber Rocha.” IdeAs, n.7, Printemps-Été 2016.

Filmografia (em ordem cronológica)

O DESCOBRIMENTO do Brasil. Humberto Mauro, Brasil, 1937.

DEUS E O DIABO na terra do sol. Glauber Rocha, Brasil, 1964.

O DESAFIO. Paulo Cezar Saraceni, Brasil, 1965.

TERRA em transe. Glauber Rocha, Brasil, 1967.

UN FILM comme les autres (Um filme como os outros). Jean-Luc Godard, França, 1968.

OS HERDEIROS. Carlos Diegues, Brasil, 1970.

NO INTENSO agora. João Moreira Salles, Brasil, 2017.

Publicado
2018-07-04
Como Citar
Alvim, L. (2018). Revolucionários, ditadura e ruínas ao som de Villa-Lobos. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 45(50), 123-142. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2018.141972