O Movimento Feminino pela Anistia em reportagens da Rede Globo Minas

  • Marcella Furtado Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes
Palavras-chave: televisão, acervo, audiovisual, ditadura, memória

Resumo

Este artigo visa analisar como o Movimento Feminino pela Anistia é abordado em cinco reportagens feitas pela Rede Globo Minas em Belo Horizonte (BH) entre os anos de 1977 e 1979. A análise será feita a partir do acervo da emissora presente no Museu da Imagem e do Som de BH. Essa abordagem é um recorte da pesquisa BH em movimento – Registros audiovisuais do período da ditadura na capital de Minas, que busca localizar e analisar reportagens televisivas realizadas entre 1968 e 1983 em BH que façam referência a pessoas e/ou eventos ligados ao período militar. Localizar esses registros revela-se tão importante quanto entender de que forma eles se inserem na memória audiovisual do período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcella Furtado, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) na linha de pesquisa História, Teoria e Crítica. Mestre em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) (2008), na linha de pesquisa em Cinema. Especialista em Cinema pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas) (2006) e em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense (UFF) (2013). Graduada em Comunicação Social pela UFMG (habilitação em Jornalismo/2004 e em Radialismo e TV/2005) e em Cinema de Animação e Artes Digitais (2014) pela mesma universidade. Desde 2010 é arte-educadora no Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte, órgão da Fundação Municipal de Cultura, atuando no apoio às pesquisas ao acervo, visitas técnicas e mediadas, oficinas de preservação de acervos audiovisuais, oficinas de brinquedos ópticos e sessões de vídeo comentado.

Referências

BERGER, Christa; CHAVES, Juliana C. A contribuição do cinema para a memória da ditadura brasileira. Comunicação & educação, n. 3, set/dez 2009.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves. Helena Greco: humanismo intransigente. In: XI ENCONTRO DE HISTÓRIA ORAL. Memória, Democracia e Justiça, 2012, Rio de Janeiro. Anais. Disponível em: <http://www.encontro2012.historiaoral.org.br/resources/anais/3/1337281896_ARQUIVO_DonaHelenaGrego2.pdf>. Acesso em: 07 jan. 2018.

FICO, Carlos. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a Ditadura Militar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

LEANDRO, Anita. Montagem e História. Uma arqueologia das imagens da repressão. Compós. Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. 2015. Disponível em: <http://www.compos.org.br/biblioteca/artigo_com-autoria_compos-2015-3443f24d-7f10-4aaf-857c-1441b53a7204_2837.pdf>. Acesso em: 13 out. 2015.

_____. Os acervos da ditadura na mesa de montagem. Logos (Rio de Janeiro. Online), v. 23, p. 1-15, 2016. Disponível em: < http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/logos/article/viewFile/27512/20175>. Acesso em: 14 fev. 2017

MORETTIN, Eduardo. Acervos cinematográficos e pesquisa histórica: questões de método, In: Revista Esboços, Florianópolis, v. 21, n. 31, ago. 2014, p.50-67.

MORETTIN, E. V. (Org.); ARAUJO, D. C. (Org.); REIA-BAPTISTA, V. (Org.). Ditaduras revisitadas: cartografias, memórias e representações audiovisuais. 1. ed. Faro: CIAC/Universidade do Algarve, 2016. v. 1. 829p.

MORETTIN, Eduardo. O cinema como fonte histórica na obra de Marc Ferro. In: CAPELATO, Maria Helena et al. (Org.). História e cinema: dimensões históricas do audiovisual. São Paulo: Alameda, 2007. p. 39-64.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. As universidades e o regime militar: cultura política brasileira e modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar, 2014. 429 p.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014. 365 p.

_____. O regime militar brasileiro: 1964-1985. 4. ed. São Paulo: Atual, 2008. 108 p.

OLIVEIRA, Ana Maria Rodrigues de. Helena Greco, eu te batizo: anistia. Belo Horizonte: [s. n.], c1983. 67 p.

PAULA, Adriana das Graças de. Pensar a democracia: o Movimento Feminino pela Anistia, as Mães da Praça de Maio e os intelectuais. In: XI Encontro Internacional da ANPHLAC, 2014, Niterói. Anais. Disponível em: < http://anphlac.fflch.usp.br/sites/anphlac.fflch.usp.br/files/Adriana%20de%20Paula.pdf>. Acesso em: 07 jan. 2018.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014. 191 p.

Publicado
2019-01-31
Como Citar
Furtado, M. (2019). O Movimento Feminino pela Anistia em reportagens da Rede Globo Minas. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 46(51). https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2019.147851