O fogo de palha de 68

o ponto de vista da montagem em No intenso agora

Autores

  • Ana Paula Sá e Souza Pacheco Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.156119

Palavras-chave:

cinema e política, maio de 1968, junho de 2013, No intenso agora

Resumo

O ensaio busca analisar o filme No intenso agora (2017), de João Moreira Salles, interrogando o sentido da revisitação de Maio de 1968. Busca também compreender as relações entre o ponto de vista construído pelo filme brasileiro, a partir de cenas de outros filmes, e os protestos de junho de 2013.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Sá e Souza Pacheco, Universidade de São Paulo

Professora doutora do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada, da Universidade de São Paulo. Publicou, entre outros, os seguintes artigos sobre cinema: “Os incomodados que se mudem: a subjetividade contemporânea de Os inquilinos, de Sérgio Bianchi” (Novos Estudos Cebrap, São Paulo, v. 36, p. 153-167, 2017), “Iracema-74: cinema, malandragem, capitalismo” (Nova Síntese, Lisboa, v. 12, p. 219-236, 2017) e “Desigualdades atuais de Cabra marcado para morrer” (In: NITRINI, S.; SAAD, A. (org.). Memória & trauma histórico: literatura e cinema. São Paulo: Hucitec, 2018. p. 217-241).

Referências

ARANTES, P. E. “L'autre sens. Une théorie critique à la périphérie du capitalisme”. [Entrevista cedida a] Fred Lyra. Variations, Paris, v. 22, 2019. Disponível em: https://bit.ly/30vkLqR. Acesso em: 4 fev. 2019.

BENJAMIN, W. “O caráter destrutivo”. In: BENJAMIN, W. Documentos de cultura documentos de barbárie. São Paulo: Cultrix: Edusp, 1986. p. 187-188.

BENJAMIN, W. “O autor como produtor”. In: BENJAMIN, W. Estética e sociologia da arte. São Paulo: Autêntica, 2017. p. 79-105.

BLOOMBERG. “Bloomberg billionaires index”. Bloomberg, New York, 14 mar. 2014.

CANDIDO, A. “Perversão da Aufklärung”. In: DANTAS, V. (org.). Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades: Editora 34, 2002. p. 320-327.

JAMESON, F. “Pleasure: a political issue”. In: JAMESON, F. Formations of pleasure. London: Routledge; Boston: Kegan Paul, 1983. p. 1-14.

LAVAL, C.; DARDOT, P. La nouvelle raison du monde: essai sur la société néolibérale. Paris: La Découverte, 2009.

PAULANI, L. “Individualismo, neoliberalismo e pós-modernismo”. In: PAULANI, L. Modernidade e discurso econômico. São Paulo: Boitempo, 2005. p. 115-140.

SALLES, J. M. ‘“O apego ao movimento de 1968 é desmesurado e conservador’”. [Entrevista cedida a] Flávia Marreiro. El País, Madrid, 1 abr. 2017a. Disponível em: https://bit.ly/2LX05Ev. Acesso em: 4 fev. 2019.

SALLES, J. M. “Entrevista”. [Entrevista cedida a] Paulo Henrique Silva. Central de notícias, [S. l.], 15 nov. 2017b.

ZACARIAS, G. F. “No intenso outrora”. Le Monde Diplomatique – Brasil, São Paulo, 13 mar. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2XHluDF. Acesso em: 27 fev. 2019.

Referências audiovisuais

À BIENTÔT, j’espère (Até logo, eu espero). Chris Marker e Mario Marret, França, 1967.

GRANDS soirs et petits matins (Noites longas e manhãs breves). William Klein, França, 1978.

LA CHARNIÈRE (A dobradiça). Groupe Medvedkine, França, 1968.

LE CINÉMA de Mai 1968 (O cinema de maio de 68). Filmes coletivos, França, 2008.

NO INTENSO agora. João Moreira Salles, Brasil, 2017.

NOTÍCIAS de uma guerra particular. João Moreira Salles e Kátia Lund, Brasil, 1999.

NOUVELLE société I, II, III (Sociedade nova I, II, III). Groupe Medvedkine, França, 1968.

QUANTO vale ou é por quilo? Sérgio Bianchi, Brasil, 2005.

PUIS qu’on vous dit que c’est possible (Porque é possível). Groupe Medvedkine, França, 1973.

Downloads

Publicado

2020-05-04

Como Citar

Pacheco, A. P. S. e S. (2020). O fogo de palha de 68: o ponto de vista da montagem em No intenso agora. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 47(53), 278-296. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.156119