Medos públicos em lugares privados: o horror nos filmes de Kleber Mendonça Filho

  • Lucas Procópio Caetano Universidade Estadual de Campinas
  • Paula Gomes Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Horror, Cinema contemporâneo, Cinema brasileiro

Resumo

O artigo investiga três filmes do diretor brasileiro Kleber Mendonça Filho, Vinil Verde (2004), O Som ao Redor (2012) e Aquarius (2016), buscando identificar, por meio da análise fílmica, o uso de elementos característicos do gênero cinematográfico do horror em diferentes momentos destas três obras. A recorrência destes elementos nos filmes do diretor e o modo como eles se relacionam com outros regimes de representação localizam essa produção dentro de uma tendência cinematográfica contemporânea já apontada por pesquisadores como Cánepa (2013).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Procópio Caetano, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando e Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Multimeios da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no qual desenvolveu dissertação intitulada Monstros gigantes para jaulas pequenas: o modo horrífico no cinema brasileiro contemporâneo. Possui Graduação em Imagem e Som com bacharelado em Audiovisual pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Paula Gomes, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestra em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Possui Graduação em Comunicação Social com habilitação em Radialismo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Referências

BAIRD, R. “The startle effect: implications for spectator cognition and media theory”. Film Quarterly, Berkeley, v. 53, n. 3, p. 12-24, 2000.

BROOKS, P. The melodramatic imagination: Balzac, Henry James, melodrama, and the mode of excess. New Haven: Yale University Press, 1976.

CAETANO, L P. Monstros gigantes, jaulas pequenas: o modo horrífico em filmes brasileiros contemporâneos. 2018. Dissertação (Mestrado em Multimeios) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

CAETANO, M. R. “A força de um filme”. Pesquisa Fapesp, São Paulo, n. 207, 2013. Disponível em: https://bit.ly/31sC9jV. Acesso em: 29 jun. 2020.

CÁNEPA, L. L. “Horrores do Brasil”. Filme Cultura, Rio de Janeiro, n. 61, p. 33-37, 2013.

CARROLL, N. A filosofia do horror ou paradoxos do coração. Campinas: Papirus, 1999.

DORIA, K. W. O horror não está no horror: cinema de gênero, anos Lula e luta de classes no Brasil. 2016. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 2016.

FREUD, S. “The Uncanny”. Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, 1919. Disponível em: https://bit.ly/3eVAN5d. Acesso em: 1º jun. 2019.

LIMA, C. S.; MIGLIANO, M. “Medo e experiência urbana: breve análise do filme O Som ao Redor”. Rebeca, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 185-209, 2013.

MENDONÇA, L. Aquarius (2016) de Kleber Mendonça Filho. À Pala de Walsh, Lisboa, 14 mar. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3dIVfVv. Acesso em: 10 jun. 2019.

RUSSELL, D. J. “Monster roundup: reintegrating the horror genre”. In: BROWNE, Nick. Refiguring american film genres: theory and history. Berkeley: University of California Press, 1998. p. 233-248.

SALES JÚNIOR, R. Democracia racial: o não-dito racista. Tempo Social, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 229-258, 2006.

SOUZA, J. A classe média no espelho: sua história, seus sonhos e ilusões, sua realidade. Rio de Janeiro: Sextante, 2018.

WILLIAMS, L. “Film bodies: gender, genre, and excess”. In: STAM, Robert; MILLER, Toby (org.). Film and theory: an anthology. Oxford: Blackwell, 2000. p. 78-103.

XAVIER, I. “Figuras do ressentimento no cinema brasileiro dos anos 90”. Aniki, Lisboa, v. 5, n. 2, p. 311-332, 2018.

Publicado
2020-07-09
Como Citar
Caetano, L. P., & Gomes, P. (2020). Medos públicos em lugares privados: o horror nos filmes de Kleber Mendonça Filho. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 47(54), 180-201. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.159231