Adolfo Celi, um olhar para dois mundos

  • Alessandra Vanucci Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Adolfo Celi, teatro, cinema.

Resumo

O ensaio resgata a vivência brasileira de Adolfo Celi, ator e diretor italiano ativo em cinema e teatro (1922-1986), inserido no laboratório paulista da renovação, na década de 1950. Sua atuação impôs, no palco, o legado texto-cêntrico de Sílvio d'Amico e a utopia do ator plástico de Copeau e, na tela, a estética neo-realista associada a uma atuação fortemente marcada pelo ideário teatral moderno. As intuições, a herança, as oportunidades e as invenções perdidas desta experiência transcultural sugerem um quadro de realização somente parcial do projeto modernizador. Ao entrar na década de 60, é a sensação de ter esgotado um ciclo existencial que fornece a Celi um válido álibi para o retorno. Álibi (1969), seu terceiro e último filme como diretor, realizado na Itália com Gassmann e Lucignani, é um testemunho de vida e memórias, de raiva e de saudade do Brasil; e um precioso guia para entender sua extraordinária ‘aventura americana’.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2002-11-23
Como Citar
Vanucci, A. (2002). Adolfo Celi, um olhar para dois mundos. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 29(18), 145-168. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2002.65562
Seção
Artigos