A monocultura informática

  • Edílson Cazeloto Universidade Paulista
Palavras-chave: Monocultura informática, Cibercultura, Capitalismo.

Resumo

Este artigo dedica-se a uma exploração preliminar da tensão entre a aparente pluralidade das práticas culturais contemporâneas e a uniformidade das condições de produção destas mesmas práticas, expressa na noção de "monocultura informática". O problema apresentado é que, dado que a padronização (dos procedimentos produtivos e das práticas culturais) é uma necessidade constante do capitalismo, a pluralidade de manifestações e a polifonia das redes representaria uma força contrária aos pressupostos do capital? A idéia desenvolvida é que a fragmentação da cena social ocorre a partir de uma lógica única (a lógica informática), determinada pela ascensão do computador ao papel de intermediário privilegiado na criação e transmissão da cultura. Desta forma, a diversidade é redutível à uniformidade: a proliferação das práticas ocorre sobre uma uniformização de base, a saber, a necessidade da intermediação das tecnologias digitais, com seus protocolos, interdições e hierarquia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-06-23
Como Citar
Cazeloto, E. (2008). A monocultura informática. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 35(29), 99-114. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2008.65662
Seção
Artigos