Cenas comunicativas como palco de tensões: dos impasses que permeiam a constituição recíproca de interlocutores em Papo de Polícia

  • Thales Vilela Lelo Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Interações comunicativas. Políticas do sensível. Papo de Polícia.

Resumo

Esse artigo tem como questão central as tensões que envolvem a construção recíproca de sujeitos como interlocutores em uma cena comunicativa. O objeto empírico de referência é a primeira temporada da série Papo de Polícia, composta de sete episódios que foram veiculados no Multishow em 2011. O protagonista é o policial civil Roberto Chaves, que foi convidado para o “desafio” de se hospedar sete dias no Complexo do Alemão (RJ) no intuito de relatar, por meio de um diário em vídeo, as vivências no local e a interação com os moradores. Será realizada uma leitura do dispositivo que sustenta a trama, suas estratégias de convocação do espectador, e suas formas de conduzir as interações entre o protagonista e seus entrevistados. Intenciona-se, por fim, questionar as incongruências advindas dessa estrutura de organização da série através de cenas que parcialmente escapam ao roteiro da temporada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thales Vilela Lelo, Universidade Estadual de Campinas
Doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Membro do grupo de pesquisa em Jornalismo, Narrativas e Práticas Comunicacionais (UFOP) e do grupo de estudos em Trabalho, Saúde e Subjetividade (UNICAMP).

Referências

COELHO; M.; DURÃO, S. Morais do drama urbano: violência policial, discurso midiático e produção de fábulas. In: XI Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais. Salvador: UFBA, 2011, p.1-16. Disponível em http://www.xiconlab.eventos.dype.com.br/resources/anais/3/1307979573_ARQUIVO_MoraisdoDramaUrbano-MariaClaudiaCoelhoeSusanaDurao.pdf. Acesso em 5 out. 2014.

FAHLE, O. Estética da televisão: passos rumo a uma teoria da imagem da televisão. In: GUIMARÃES, C.; LEAL, B.; MENDONÇA, C. (Orgs.). Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006, p.190-208.

GUIMARÃES, C.; GUIMARÃES, V. Da política no documentário às políticas do documentário: notas para uma perspectiva de análise. In: Galáxia, 22, 2011, p.77-88.

LELO, T. A dimensão política das interações comunicativas em Papo de Polícia: cenas de dissenso e reconfigurações do mundo comum. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

MOUILLAUD, M. A informação ou a parte de sombra. In: MOUILLAUD, M.; PORTO, S. (Orgs.). O jornal – da forma ao sentido. Brasília: Paralelo 15, 1997, p.37-47.

RANCIÈRE, J. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

_____. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: EXO Experimental, 2005.

_____. O espectador emancipado. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Publicado
2016-08-22
Como Citar
Lelo, T. (2016). Cenas comunicativas como palco de tensões: dos impasses que permeiam a constituição recíproca de interlocutores em Papo de Polícia. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 43(45), 200-219. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2016.99866