Trocadilho: o primo da criação publicitária

  • Celso Figueiredo Neto PUC-SP
Palavras-chave: humor, publicidade, retórica, criação publicitária

Resumo

Este artigo visa a resgatar o trocadilho como ferramenta retórica de criação publicitária amplamente utilizada, com frequência como recurso humorístico, nem sempre bem recebida pelos criativos e intelectuais. Uma análise da presença do humor na publicidade, bem como do uso extensivo de trocadilhos textuais e visuais, justifica uma abordagem mais minuciosa do fenômeno. O levantamento bibliográfico indica que os critérios existentes não servem ao propósito de verificar o potencial persuasivo dos trocadilhos, para tanto, propomos como critérios a eficácia e a originalidade para avaliar as referidas figuras de linguagem. Por eficácia entenderemos a capacidade dos múltiplos sentidos do trocadilhos contribuírem para a construção do sentido; por originalidade, o afastamento do universo dos clichês que esvazia a riqueza semântica do fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Figueiredo Neto, PUC-SP
Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, professor pesquisador do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie, faz parte do núcleo estruturante do Mestrado em Comunicação dessa Universidade.
Publicado
2011-12-10