Caracterização de pacientes intoxicados por drogas de abuso em terapia intensiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606//issn.1806-6976.smad.2020.151960

Palavras-chave:

Enfermagem, Hospitalização, Unidades de Cuidados Intensivos, Alcoolismo, Epidemiologia

Resumo

Objetivo: caracterizar o perfil epidemiológico de internações em terapia intensiva decorrentes de efeitos secundários do uso de álcool e outras drogas de abuso. Método: estudo transversal de 138 fichas de internados em terapia intensiva adulto de hospital escola com efeitos secundários à intoxicação por drogas de abuso. Utilizaram-se estatísticas descritivas e univariada. Resultados: a média anual de internações foi 27,6/mês, com maioria do sexo masculino (89,1%), idade média de 47,9 anos, usuários crônicos de álcool (92,75%) e com doença orgânica secundária ao uso de drogas (66,64%). O tempo médio de internação foi de 16,6 dias e 38,4% evoluíram a óbito. Conclusão: neste estudo, prevaleceram internados em estado crítico do sexo masculino, em idade economicamente ativa, por uso crônico de álcool e longo período de internação. Os óbitos foram estatisticamente associados à idade maior que 40 anos, a doenças do sistema digestivo e internações com duração até 17 dias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-02-21

Como Citar

Santana, C. J., Hungaro, A. A., Cristophoro, R., Elvira, I. de K. S., Gavioli, A., & Oliveira, M. L. F. de. (2020). Caracterização de pacientes intoxicados por drogas de abuso em terapia intensiva. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 16(1), 1-8. https://doi.org/10.11606//issn.1806-6976.smad.2020.151960

Edição

Seção

Artigo Original