Qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária

  • Alana Fernandes Pedro Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Juliana Ribeiro Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Zaida Aurora Sperli Geraldes Soler Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Ana Paula Bugdan Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto; Hospital de Base; Ambulatório de Incontinência Urinária
Palavras-chave: Incontinência Urinária, Qualidade de Vida, Morbidade Referida

Resumo

Teve-se, aqui, o objetivo de investigar a qualidade de vida de mulheres com queixa de incontinência urinária que buscaram atendimento médico em ambulatório de urologia, de um hospital de ensino. Foram entrevistadas 43 mulheres com queixa de IU, preservando-se os aspetos éticos de pesquisa em seres humanos. Obteve-se, como resultados, que a idade média foi de 50,7 anos, 62,8% referiram perda de urina entre 5 e 9 anos. Houve muitos relatos de danos físicos e psicológicos decorrentes da IU: 33,5% na interação psicossocial, 23,3% na vida sexual, 41,9% depressão e isolamento social, 27,9% alterações do sono, 76,7% relataram constrangimento por perda de urina. Conclui-se que os dados obtidos permitem o desenvolvimento de ações amplas no atendimento e orientação a mulheres com IU.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-08-01
Como Citar
Pedro, A., Ribeiro, J., Soler, Z., & Bugdan, A. (2011). Qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 7(2), 63-70. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v7i2p63-70
Seção
Artigo Original de Chamada