http://www.revistas.usp.br/smad/issue/feed SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) 2019-11-12T11:20:59-02:00 Revista Eletrônica Saúde Mental, Álcool e Drogas - SMAD smad@eerp.usp.br Open Journal Systems <p><strong>SMAD. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas</strong> é uma revista on line, de acesso aberto, avaliada por pares, que recebe manuscritos de pesquisas que abordam&nbsp; todos os aspectos da saúde mental, uso de álcool, tabaco e outras drogas psicotrópicas sob diversos enfoques (psicossocial e da neurociência).</p> <p>São aceitas contribuições de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento cujo objeto de pesquisa se refira aos conteúdos apresentados.</p> <p><strong><em>Idioma de submissão</em></strong></p> <p>Português, inglês ou espanhol</p> <p><strong><em>Missão</em></strong></p> <p>Compartilhar experiências e conhecimento produzidos por trabalhadores e pesquisadores da área de saúde mental, álcool e drogas.</p> http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163927 Construção de políticas participativas na atenção integral aos usuários de álcool e outras drogas 2019-11-11T14:01:43-02:00 Márcia Aparecida Ferreira de Oliveira marciaap@usp.br 2019-11-07T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163935 Representação social do consumo de álcool em idosos de uma população quilombola 2019-11-12T10:38:43-02:00 Bruna Ramos Neves thainarafranklin@hotmail.com Thainara Araujo Franklin thainarafranklin@hotmail.com Tito Lívio Ribeiro Gomes do Nascimento thainarafranklin@hotmail.com Soraya Mendes Rodrigues Adorno thainarafranklin@hotmail.com Alba Benemérita Alves Vilela thainarafranklin@hotmail.com <p>Objetivo: compreender as palavras evocadas por idosos de uma população quilombola acerca do consumo de álcool. Método: trata-se de uma pesquisa de abordagem mista (quanti-qualitativa). Utilizou-se a Técnica de Evocação Livre de Palavras com o termo indutor “Consumo de bebidas alcoólicas”. A análise foi realizada através do software EVOC 2005. Utilizou-se um formulário com questões sociodemográficas, com análise no software SPSS, versão 21. Resultados: foram entrevistados 60 idosos, a maioria do sexo feminino e com baixa escolaridade. Conclusão: as representações sociais acerca do consumo de bebidas alcoólicas se mostraram negativas, o que emerge significações atreladas ao alto consumo de álcool e à problematização advinda com este.</p> 2019-11-07T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163950 Uso e abuso de drogas entre universitários e a sua interface com as políticas públicas 2019-11-12T10:40:44-02:00 Elisa Carneiro Pereira Camargo adrianaofelipe@yahoo.com.br Jamila Souza Gonçalves adrianaofelipe@yahoo.com.br Adriana Olimpia Barbosa Felipe adrianaofelipe@yahoo.com.br Silvana Maria Coelho Leite Fava adrianaofelipe@yahoo.com.br Márcia Maria Fontão Zago adrianaofelipe@yahoo.com.br Eliza Maria Rezende Dázio adrianaofelipe@yahoo.com.br <p>Objetivo: analisar o significado do uso e do abuso de álcool e/ou de outras drogas entre os universitários em consonância com as políticas públicas brasileiras sobre drogas. Método: participaram 49 universitários de&nbsp;uma Instituição Pública de Ensino Superior da região Sudeste do Brasil. Resultados: pela Análise de Conteúdo de Bardin elaborou-se a categoria analítica: “Dissonância entre as políticas públicas e o significado do uso de drogas entre universitários”. O uso e o abuso de drogas inicia-se na adolescência; estimulado pelos familiares e amigos, e remete à felicidade e à fuga dos problemas. Conclusão: é fundamental conhecer o significado do uso e do abuso de drogas, sob a ótica do universitário para a elaboração e a implementação de políticas públicas.</p> 2019-11-08T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163954 O uso de bebida alcoólica entre gestantes adolescentes 2019-11-12T10:42:09-02:00 Tarcila Cristina Rodrigues Cândido adrianaofelipe@yahoo.com.br Gabriela Coutinho Ferreira adrianaofelipe@yahoo.com.br Denis da Silva Moreira adrianaofelipe@yahoo.com.br Bárbara de Oliveira Prado Sousa adrianaofelipe@yahoo.com.br Samara Macedo Cordeiro adrianaofelipe@yahoo.com.br Evellin Ribeiro Alfredo adrianaofelipe@yahoo.com.br Adriana Olimpia Barbosa Felipe adrianaofelipe@yahoo.com.br <p>Objetivo: identificar o consumo de bebida alcoólica entre as adolescentes gestantes. Método: estudo de abordagem quantitativa, descritiva e de corte transversal. Os&nbsp;participantes foram 27 adolescentes gestantes adscritas nas&nbsp;Estratégia de Saúde da Família. Resultados: constatou-se&nbsp;que 54% referiram fazer uso de bebida alcoólica nos últimos 12 meses e 7,4% apresentavam chance de ter diagnóstico de dependência alcoólica. Das 5 participantes que relataram ser a segunda gestação, 80% afirmaram ter utilizado álcool na gravidez anterior. Identificou-se que em relação de risco sobre o padrão de consumo de álcool 81,4% se enquadram na zona I, 14,8% na zona II e 7,4% na zona IV. Conclusão: reafirma-se a necessidade de ações de prevenção do uso de álcool na gestação e a relevância do papel do enfermeiro no acompanhamento integral durante o pré-natal.</p> 2019-11-08T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163956 A inclusão social de usuários dos Centros de Atenção Psicossocial álcool e outras drogas de um município paulista 2019-11-12T11:01:47-02:00 Silvana Proença Marchetti silvana.marchetti@usp.br Toyoko Saeki silvana.marchetti@usp.br <p>Objetivo: investigar a inclusão social de usuários em atendimento em dois Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas, na cidade de Campinas – SP, sob a perspectiva dos profissionais que neles atuam. Método: neste estudo qualitativo, os dados foram analisados segundo o método de análise de conteúdo, na especificidade análise temática. Resultados: o estudo permitiu desdobramentos em três categorias: 1-) a visão do profissional sobre inclusão social dos usuários problemáticos de drogas; 2-) o cuidado à inclusão social; e 3-) os limites e potencialidades para inclusão social desses usuários. Conclusão: o posicionamento político-ideológico dos profissionais e suas considerações sobre sofrimento ético-político têm influência sobre os modelos de atenção aos usuários.</p> 2019-11-08T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164012 Drogas 2019-11-12T10:46:37-02:00 Alexandre Vianna Montagnero montagnero@ufu.br Gabriel Bassan montagnero@ufu.br Laura Veloso montagnero@ufu.br <p>Objetivo: realizar uma análise semântica dos principais elementos discursivos presentes em publicações nacionais sobre drogas ilícitas. Método: foram utilizados 336 trechos de resumos retirados de 58 artigos publicados em revistas brasileiras entre 2004 e 2014. Quando submetidos ao programa gratuito<em> Iramuteq</em>®, obteve-se a frequência e a classe das palavras, que revelaram os principais elementos discursivos sobre a temática “drogas”. Resultados: os dados se estruturaram em cinco classes divididas em dois grupos, que revelam a frequência do corpus de palavras analisadas: Dados e Usuário, de modo que o grupo “Dados” foi composto pelas classes: a) Epidemiologia (17,5%) e b) Método de pesquisa (31,4%). Já o grupo “Usuário”, pelas classes: c) Atenção em saúde (19,1%); d) Consequências do abuso (16,1%); e) Aspectos sociais (15,9%). Conclusão: os discursos presentes nas perspectivas dos autores apontam a preferência pelas pesquisas investigativas, pela utilização do método quantitativo e as pesquisas relacionaram a temática das drogas a aspectos sócio-políticos e à necessidade de novos planejamentos dos serviços de atenção em saúde.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164013 Perspectiva do usuário de drogas sobre seu tratamento e a rede de atenção psicossocial 2019-11-12T11:03:05-02:00 Vanessa Ayres Tibiriçá csalmeida_1@hotmail.com Eduarda Pampolin Miessi Luchini csalmeida_1@hotmail.com Camila Souza de Almeida csalmeida_1@hotmail.com <p>Objetivo: analisar a percepção do usuário de álcool e outras drogas sobre seu tratamento em um Centro de Atenção Psicossocial de álcool e outras drogas e de sua inserção na Rede de Atenção Psicossocial. Método: trata-se de uma pesquisa qualitativa exploratória, na qual se utilizaram grupos focais como forma de coleta de dados. O estudo ocorreu na cidade de Divinópolis, Minas Gerais, no período de agosto a novembro de 2017. Resultados: ao todo foram cinco grupos focais em que se abordaram temas como tratamento, percurso na Rede assistencial e relação com o Sistema de Saúde da cidade. Conclusão: a Rede de Atenção Psicossocial se encontra muito fragmentada e fragilizada, o que dificulta o tratamento do usuário de álcool e outras drogas e&nbsp; sobrecarrega os serviços especializados em saúde&nbsp;mental.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164014 O acesso aos serviços de saúde na perspectiva de pessoas em situação de rua 2019-11-12T10:50:05-02:00 Nayelen Brambila Cervieri nay_brambila@hotmail.com Catchia Hermes Uliana nay_brambila@hotmail.com Nathan Aratani nay_brambila@hotmail.com Priscila Marcheti Fiorin nay_brambila@hotmail.com Bianca Cristina Ciccone Giacon nay_brambila@hotmail.com <p>Objetivo: identificar a percepção das pessoas em situação de rua sobre as barreiras encontradas para garantia do acesso aos serviços de saúde. Método: pesquisa de natureza qualitativa, descritiva, realizada em um Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e em uma casa de passagem do município da região norte do estado de Mato Grosso do Sul. Os participantes foram 11 indivíduos em situação de rua. A coleta foi feita por meio de entrevistas utilizando o instrumento semiestruturado, analisadas por meio da análise temática. Resultados: podese descrever dois momentos: “o viver na rua” e “o acesso à saúde”. No processo de viver na rua, muitos relataram ter se acostumado com a situação de rua. O acesso aos serviços de saúde se deu em pronto-atendimentos devido a situações emergenciais. Experiências positivas e negativas foram relatadas. Conclusão: acredita-se que, ao se compreenderas peculiaridades dessa população e suas demandas, uma assistência de melhor qualidade pode ser oferecida.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164017 Consumo de crack 2019-11-12T10:15:36-02:00 Eliany Nazaré Oliveira brenocavalcanteenfermagem@gmail.com Anny Caroline dos Santos Olímpio brenocavalcanteenfermagem@gmail.com João Breno Cavalcante Costa brenocavalcanteenfermagem@gmail.com Roberta Magda Martins Moreira brenocavalcanteenfermagem@gmail.com Lycélia da Silva Oliveira brenocavalcanteenfermagem@gmail.com Rita Wigna de Souza Silva brenocavalcanteenfermagem@gmail.com <p>Objetivo: caracterizar o perfil sociodemográfico e clínico de usuários de crack atendidos no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) de um município da mesorregião noroeste do Ceará. Método: estudo exploratório-descritivo, documental e retrospectivo, de abordagem quantitativa, realizado em 2014, utilizando um formulário desenvolvido a partir do roteiro de acolhimento do Caps AD. Resultados: constatou-se no estudo que a maior parte dos usuários de crack era do sexo masculino, com média etária de 25 anos, solteira e com Ensino Fundamental incompleto. Conclusão: o estudo contribuiu para que o profisisonal de saúde&nbsp;conheça o perfil, a realidade e os desafios enfrentados por esta população, elaborando estratégias de prevenção de doenças, promoção da saúde e intervenções fundamentadas nas estratégias de redução de danos.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164021 A percepção de caminhoneiros sobre o uso de substâncias psicoativas no trabalho 2019-11-12T11:04:28-02:00 Ramón Araújo Silva joao.messias@puc-campinas.edu.br André Luiz Monezi Andrade joao.messias@puc-campinas.edu.br Liliana Andolpho Magalhães Guimarães joao.messias@puc-campinas.edu.br José Carlos Rosa Pires de Souza joao.messias@puc-campinas.edu.br João Carlos Caselli Messias joao.messias@puc-campinas.edu.br <p>Objetivo: compreender a experiência subjetiva de caminhoneiros em relação ao uso de substâncias psicoativas. Método: utilizou-se método qualitativo de caráter etnográfico. Resultados: os elementos encontrados, tais como elevado índice de consumo de substâncias, corroboram estudos epidemiológicos acerca da temática, acrescentando, todavia, sentidos subjetivos e depoimentos. Conclusão: há uma divergência de opiniões que enfraquece a categoria em relação à negociação por melhores condições de trabalho, ao mesmo tempo que o uso de substâncias ilícitas é considerado normal e não é questionado por parte dos participantes.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/164019 Percepção do familiar sobre o tratamento de usuários de drogas 2019-11-12T11:16:32-02:00 Cristiana Nelise de Paula Araujo crisnelise@yahoo.com.br Clarissa Mendonça Corradi-Webster crisnelise@yahoo.com.br <p>Objetivo: realizar revisão integrativa da literatura nacional sobre os tratamentos de usuários de álcool e outras drogas a partir da perspectiva de seus familiares. Método: trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura nacional, nos portais Biblioteca Virtual em Saúde e Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e nas bases de dados Web of Science, The Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature e PsycINFO. Após o processo de análise dos estudos recuperados, foram selecionados 21 estudos. Resultados: na literatura demonstrou-se que os familiares reconheceram os serviços extrahospitalares como importantes para melhorar as relações familiares e as condições de saúde do usuário, sendo importante a inclusão dos familiares nos espaços de tratamento para ajudar os usuários de drogas. Contudo, foram apontados, em estudos, fatores como a insuficiência desses serviços em atender a demanda apresentada, as barreiras no acesso ao tratamento e o desconhecimento desses serviços, contribuindo para a busca de internações – algumas, inclusive, forçadas. Conclusão: é necessária a ampliação dos serviços extrahospitalares, com o oferecimento de apoio aos familiares de usuários de drogas.</p> 2019-11-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement##