SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) http://www.revistas.usp.br/smad <p><strong>SMAD. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas</strong> é uma revista on line, de acesso aberto, avaliada por pares, que recebe manuscritos de pesquisas que abordam&nbsp; todos os aspectos da saúde mental, uso de álcool, tabaco e outras drogas psicotrópicas sob diversos enfoques (psicossocial e da neurociência).</p> <p>São aceitas contribuições de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento cujo objeto de pesquisa se refira aos conteúdos apresentados.</p> <p><strong><em>Idioma de submissão</em></strong></p> <p>Português, inglês ou espanhol</p> <p><strong><em>Missão</em></strong></p> <p>Compartilhar experiências e conhecimento produzidos por trabalhadores e pesquisadores da área de saúde mental, álcool e drogas.</p> Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo pt-BR SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) 1806-6976 O que aprendemos sobre implementação das Intervenções Breves na América Latina? http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/152064 Telmo Mota Ronzani ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 125 127 Competências sociais de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155665 <p>Este estudo teve como objetivo verificar a influência dos jogos teatrais nas competências sociais de pessoas com diagnósticos de transtornos mentais de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Pesquisa qualitativa, utilizando o Fichário de Jogos Teatrais de Viola Spolin; um guia de técnicas teatrais para a realização dos jogos e um roteiro de entrevista aplicado aos participantes do estudo, antes e após os oito encontros, baseado na Escala de Avaliação de Competência Social em Pacientes Psiquiátricos. Os resultados mostraram que os jogos tiveram influência positiva nas competências sociais e sinalizaram terem um grande potencial para serem transformados em oficinas terapêuticas nos CAPS.</p> Isabella de Freitas Silva Tatiane Mitleton Borges Ramos Francine Baltazar Assad Luiz Jorge Pedrão Adriana Inocenti Miasso ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 128 135 Auriculoterapia como cuidado de enfermagem na diminuição do consumo de maconha e cocaína http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155668 <p>Comprovar a efetividade da auriculoterapia como cuidado de enfermagem na diminuição do consumo de maconha e cocaína em adultos jovens. Material e métodos: estudo quantitativo, correlacional e aplicado com desenho pré-experimental, longitudinal e proletivo. n=10 indivíduos. Fue utilizado o SPSS v.1, aplicando-se a prova Z para duas proporções relacionadas e Wilcoxon (p&lt;0.05; IC 95%). Resultados: o consumo de cocaína resultou em p=&lt;0.05 com IC de 95%, concluindo-se que a auriculoterapia é efetiva na diminuição do consumo de cocaína em adultos jovens. Conclusões: o consumo de drogas psicoativas deve ser abordado a partir de diferentes enfoques do cuidado.</p> María Lourdes Ontiveros-González Leticia Casique-Casique Teresita de Jesús Muñoz-Torres ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 136 143 Prevalência do consumo de drogas lícitas e ilícitas por estudantes universitários http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155671 <p>Avaliar o consumo de drogas lícitas e ilícitas por estudantes universitários e investigar associação com variáveis sociodemográficas. Método: trata-se de um estudo transversal, com 429 estudantes de 18-24 anos,responderam ao questionário sociodemográfico e o Teste de Triagem do Envolvimento com Álcool, Tabaco e outras Substâncias. Utilizou-se estatística descritiva, testes do qui-quadrado de Fischer. Resultados: as drogas mais utilizadas foram álcool, derivados do tabaco e hipnóticos/sedativos. O sexo masculino teve associação com maior uso de drogas como tabaco e maconha e consumo sugestivo de abuso para álcool. Conclusão: conclui-se que o álcool prevalece como substância mais utilizada, pertencer ao sexo masculino e não possuir religião, morar longe dos pais/parentes são fatores que podem influenciar no uso/abuso de drogas lícitas e ilícitas.</p> Claudineia Matos de Araujo Carla Xavier Vieira Claudio Henrique Meira Mascarenhas ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 144 150 Ditos sobre o uso abusivo de álcool e outras drogas http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155675 <p>Objetivou-se compreender os significados atribuídos à droga pelas pessoas que fazem uso abusivo e conhecer como estas relacionam o uso da droga com sua história de vida. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, realizada com 22 pessoas em tratamento no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas. Os dados foram produzidos através de entrevista semiestruturada e analisados conforme análise de conteúdo de Bardin. Emergiram quatro categorias: Primeiro contato com a droga; Contexto do uso abusivo da droga; Consequências do uso abusivo das drogas; e Motivos para mudança no padrão de uso das drogas. O uso abusivo de álcool e outras drogas é um fenômeno complexo e a droga possui diversos significados vinculados ao modo de viver da pessoa.</p> Deivson Wendell da Costa Lima Lucas Alves Ferreira Alcivan Nunes Vieira Lívia Dayane Sousa Azevedo Adriana Pereira Silva Bruna Moreira Camarotti da Cunha Ligia Cristina Azevedo Sousa ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 151 158 As diferenças de idade e gênero entre usuários de CAPS ad e as implicações na rede de atenção http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155679 <p>Este estudo faz parte das atividades do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) e teve como objetivo realizar um levantamento clínico e sociodemográfico dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial, Álcool e Outras Drogas (CAPSs ad) de Florianópolis. Método: é um estudo observacional e transversal. Os dados foram coletados dos prontuários eletrônicos. Resultados: a população foi composta de 1.191 usuários dos CAPSs ad Continente e Ilha. No CAPS ad Ilha, as mulheres dependentes de álcool eram mais jovens do que os homens (p=0,075) e, em ambos CAPS ad, os usuários de cocaína/crack eram mais jovens do que os de álcool (p&lt;0,05). Conclusão: as diferenças etárias e de gênero têm implicações na rede de atenção.</p> Marcos Antonio Lopes Jonas Salomão Sprícigo Myriam Raquel Mitjavila Daniela Ribeiro Schneider Deidvid Abreu ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 159 167 Avaliação do consumo de álcool entre adolescentes e os problemas associados http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155681 <p>Investigar o consumo de álcool por adolescentes e os problemas associados ao mesmo. Métodos: estudo descritivo e transversal, realizado com 209 alunos do ensino fundamental II. Coleta de dados: aplicou-se um Formulário de avaliação do perfil sociodemográfico, dados antropométricos, Drug Use Screening Inventory. Resultados: o consumo de álcool foi na mesma proporção entre meninos e meninas com idade superior a 13 anos. Os adolescentes que utilizaram álcool apresentaram maior probabilidade de se envolverem em situações de risco, como acidentes automobilísticos e dificuldades para resistir ao uso de outras drogas. Conclusão: o álcool causa efeitos negativos à vida do adolescente e a influência de amigos e de familiares pode potencializar seu consumo.</p> Nayara Pires Nadaleti Eliene Sousa Muro Camila Csizmar de Carvalho Bianca Bacelar de Assis Denis Moreira da Silva Erika de Cássia Lopes Chaves ##submission.copyrightStatement## 2019-03-14 2019-03-14 14 3 168 176 O auto-estigma dos usuários de álcool e drogas ilícitas e os serviços de saúde http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155765 <p>Identificar, analisar e sintetizar evidências científicas sobre a relação entre o estigma existente nos serviços de saúde no que se refere aos usuários de álcool e drogas ilícitas e<br>o auto-estigma destes usuários. Método: revisão integrativa da literatura, através de cinco etapas distintas. Resultados: do total de artigos encontrados nas bases de dados, 07 foram<br>selecionados e analisados, resultando nas categorias “O estigma público nos serviços de saúde” e “A relação entre o estigma nos serviços de saúde e o auto-estigma em usuários<br>de álcool e drogas ilícitas”. Conclusão: o auto-estigma é influenciado pelo estigma público propagado, principalmente, por autoridades e por profissionais de saúde. Uma das alternativas<br>para atenuar o cenário do auto-estigma é o apoio social.</p> Raquel Helena Hernandez Fernandes Carla Aparecida Arena Ventura ##submission.copyrightStatement## 2019-03-18 2019-03-18 14 3 177 184 Cuidado de mulheres usuárias de crack na gestação http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155766 <p>Levantar e analisar as contribuições da literatura relacionadas à temática. Método: foi realizada uma revisão integrativa, nas bases de dados Lilacs e Pubmed, considerando<br>estudos publicados entre 2006 e 2017, nos idiomas português, inglês e espanhol, a partir do cruzamento dos descritores: Redução de Danos; Cocaína; Crack; Gestação. Resultados:<br>as bases de dados exibiram baixa quantidade de estudos, sendo encontradas somente 30 publicações. Conclusão: a literatura levantada prioriza a análise epidemiológica do fenômeno<br>e as consequências do uso de drogas no concepto, porém pouco explora estratégias de cuidado clínico e psicossocial.</p> Mariana Cristina Lobato Ribeiro Barbara Bartuciotti Giusti Suely Itsuko Ciosak Ivanilde Marques da Silva ##submission.copyrightStatement## 2019-03-18 2019-03-18 14 3 185 193