Exílio, memória, paisagem: um lugar do sujeito na poesia de Dante Milano

  • Alexandre Koji Shiguehara
Palavras-chave: Dante Milano, poesia brasileira moderna, memória

Resumo

A resposta da poesia de Dante Milano à realidade do deslocamento do homem moderno parece compor-se num espaço intervalar cavado pela intimidade – a qual, sem se evadir por completo da vida objetiva, não deixa de reconhecer em relação a ela um radical dis-tanciamento, nomeado em certos poemas como o exílio. Manifesta-se a natureza íntima desse exílio poético na voz baixa, na serenidade de tom própria do poeta capaz de relativizar a dor e evitar a expressão do desespero por confiar na profundidade da instância subjetiva em que o canto se instaura e, discretamente, perdura.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-13
Como Citar
Shiguehara, A. (2018). Exílio, memória, paisagem: um lugar do sujeito na poesia de Dante Milano. Teresa, 1(19), 73-87. https://doi.org/10.11606/issn.2447-8997.teresa.2018.146070
Seção
Artigos