Teatro romântico e escravidão

  • João Roberto Faria Universidade de São Paulo
Palavras-chave: teatro romântico, teatro realista, história do teatro brasileiro

Resumo

Como o teatro brasileiro dos tempos românticos representou o negro e a escravidão nos palcos e nos textos dramáticos? O artigo tenta dar uma resposta a essa questão – passando em revista as principais obras e autores que a abordaram –, a partir de uma sugestão colhida em texto de Brito Broca, para quem a literatura brasileira fez abolicionismo romântico e realista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Roberto Faria, Universidade de São Paulo
João Roberto Faria é professor de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo. É pesquisador do CNPq e coordenador da coleção “Dramaturgos do Brasil”, da editora Martins Fontes, para a qual preparou os volumes Teatro de Álvares de Azevedo (2002), Teatro de Aluísio Azevedo e Emílio Rouède(2002), Teatro de Machado de Assis (2003), José de Alencar: Dramas (2005) e Antologia do Teatro Realista (2006). É autor dos seguintes livros: José de Alencar e o teatro (São Paulo, Perspectiva/Edusp,1987); O teatro realista no Brasil: 1855-65 (São Paulo, Perspectiva/Edusp, 1993); O teatro na estante (São Paulo, Ateliê Editorial, 1998) e Ideias teatrais: o século xix no Brasil (São Paulo: Perspectiva/Fapesp,2001). Como organizador, publicou: Décio de Almeida Prado: um homem de teatro (São Paulo, Edusp/Fapesp, 1997, em colaboração com Flávio Aguiar e Vilma Arêas); Dicionário do teatro brasileiro:temas, formas e conceitos (São Paulo: Perspectiva/sesc, 2006, em colaboração com J. Guinsburg e Mariângela Alves de Lima); Do teatro: textos críticos e escritos diversos, de Machado de Assis (São Paulo, Perspectiva, 2008); O espelho, de Machado de Assis (Campinas, Editora da Unicamp, 2009).
Publicado
2013-12-23
Como Citar
Faria, J. (2013). Teatro romântico e escravidão. Teresa, (12-13), 94-111. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/99061