As encenações do capital no romantismo brasileiro

  • Vivaldo Andrade dos Santos
Palavras-chave: José de Alencar, Álvares de Azevedo, Senhora, O crédito, “A minha desgraça”, “O editor”, crítica econômica, dinheiro, finanças, capital, marxismo, romantismo, capitalismo

Resumo

O ensaio faz uma releitura do romantismo, a partir da nova crítica econômica que tem despontado no campo da literatura nas últimas décadas. Interessa, em particular,pontuar, na ficção, na poesia e no teatro de cunho romântico, a relação dessas obras com as finanças, o dinheiro e o capital. Destaca-se, neste ensaio, o romance Senhora e a peça O crédito, ambos de José de Alencar, e os poemas “A minha desgraça” e “O editor”, de Álvares de Azevedo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivaldo Andrade dos Santos
Vivaldo Andrade dos Santos é professor-associado de Português e Literatura Brasileira, Georgetown University, Washington, DC.
Publicado
2013-12-23
Como Citar
Santos, V. (2013). As encenações do capital no romantismo brasileiro. Teresa, (12-13), 192-204. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/99358