O paradoxo da teoria: interpretando Niklas Luhmann

Autores

  • Hans-Georg Moeller Universidade de Macau

DOI:

https://doi.org/10.1590/0103-2070201528

Resumo

O artigo discute o papel do paradoxo na teoria social de Niklas Luhmann a partir de uma perspectiva hermenêutica "autológica": uma tentativa de interpretação "ortodoxa" da teoria de Luhmann, incluindo sua teoria do paradoxo, descobrirá que esta teoria não se presta a uma interpretação ortodoxa. Assim, mesmo que o paradoxo da teoria de Luhmann só possa ser compreendido por meio de uma interpretação ortodoxa, os fundamentos mesmos de tal abordagem hermenêutica ortodoxa são desconstruídos por seus próprios resultados. Com base em uma visada sobre esse paradoxo hermenêutico, o papel fundamental do paradoxo na teoria de Luhmann pode ser apreciado. Para Luhmann, a autoconstrução da sociedade como um sistema complexo de funções de comunicação baseia-se na Paradoxieentfaltung - o desenvolvimento de paradoxos -, que, por sua vez, se fundamenta no "paradoxo fundamental da observação" (die Grundparadoxie des Beobachtens). Assim, a construção social não opera por meio da eliminação de paradoxos, mas por meio do uso deles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-01

Como Citar

Moeller, H.-G. (2015). O paradoxo da teoria: interpretando Niklas Luhmann . Tempo Social, 27(2), 167-179. https://doi.org/10.1590/0103-2070201528

Edição

Seção

Dossiê - Teoria dos Sistemas e Crítica da Sociedade