Uma sociologia do trabalho contrastada

Autores

  • Alberto L. Bialakowsky Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • Delia E. Franco Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • M. Mercedes Patrouilleau Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • Nora Bardi Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • Cecilia Lusnich Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • Constanza Zelaschi Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani
  • José M. Grima Universidade de Buenos Aires; Faculdade de Ciências Sociais; Instituto de Pesquisas Gino Germani

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-20702006000100013

Palavras-chave:

Epistemologia do trabalho, Pesquisa co-produzida, Hospital, Exclusão social

Resumo

O artigo propõe uma leitura sistêmica do trabalho e dos processos de trabalho institucionais que intervêm nos esquemas de exclusão social. Centra-se especificamente no processo de trabalho institucional dentro de um hospital de saúde mental, propondo uma analogia com os das fábricas. O trabalho de enfermaria e sua história possibilitam, como modelo paradigmático, a releitura da história do trabalhador em geral, uma vez que nessa área eles atuam sobre os companheiros que se encontram em processo de degradação social. As dimensões abordadas a partir desse eixo são: a intervenção institucional e os processos de trabalho; o macroprocesso de exclusão/extinção social; e a epistemologia da co-produção de pesquisa para a análise dos processos sociais de trabalho. Nossa abordagem gnosiológica baseia-se na pesquisa co-produzida, a qual se constitui de dispositivos de intervenção transdisciplinares, entrevistas semi-estruturadas, histórias de vida focalizadas, observações de campo, relatos de co-pesquisadores trabalhadores e intertextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-06-01

Como Citar

Bialakowsky, A. L., Franco, D. E., Patrouilleau, M. M., Bardi, N., Lusnich, C., Zelaschi, C., & Grima, J. M. (2006). Uma sociologia do trabalho contrastada . Tempo Social, 18(1), 241-263. https://doi.org/10.1590/S0103-20702006000100013

Edição

Seção

Perspectivas em Debate