A construção socioeconômica da cannabis no Marrocos: o kif como produto tradicional, produto manufaturado e produto de contrabando

Autores

  • Kenza Afsahi Université de Bordeaux

DOI:

https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.125668

Palavras-chave:

Cannabis, Kif, Normas, Uso, Monopólio, Contrabando

Resumo

Designado kif no Marrocos, a cannabis passou por importantes transformações que impactaram o seu valor social e econômico neste país. O presente artigo analisa essas mudanças no que se refere à evolução das normas, modos de uso e técnicas, e no que diz respeito às mudanças dos atores que produzem e comercializam a cannabis, em um primeiro momento num contexto tradicional, e em um segundo momento em dois mercados no período dos protetorados francês e espanhol (1912-1956): o mercado de monopólio e o mercado de contrabando.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kenza Afsahi, Université de Bordeaux

Pesquisadora e professora do Centre Émile Durkheim, Université de Bordeaux.

Publicado

2017-08-08

Como Citar

Afsahi, K. (2017). A construção socioeconômica da cannabis no Marrocos: o kif como produto tradicional, produto manufaturado e produto de contrabando. Tempo Social, 29(2), 99-114. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2017.125668

Edição

Seção

Dossiê: Drogas e sociedade em uma perspectiva comparada