Estratégia operária e neocapitalismo

Autores

  • Iram Jácome Rodrigues Universidade de São Paulo; Programa de Pós-Graduação em Sociologia; Departamento de Economia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0103-20702009000100004

Palavras-chave:

Estratégia operária, Neocapitalismo, Sindicalismo, Socialismo

Resumo

O objetivo deste texto é discutir algumas das questões propostas por André Gorz em seu livro Estratégia operária e neocapitalismo, publicado em meados da década de 1960, e situar este trabalho como parte de um conjunto mais amplo de estudos do autor em que a questão das transformações no capitalismo, nos países centrais, pós-Segunda Guerra Mundial, teria colocado a necessidade de novas estratégias para a ação do movimento operário e do sindicalismo. Um primeiro tema seria a relação entre as reivindicações mais gerais e aquelas mais específicas, e o papel desempenhado pelas demandas de tipo reformista na ação trabalhista; um segundo aspecto seria refletir, a partir dessa nova fase, à época, sobre os estudos de André Gorz acerca das mudanças mais gerais no âmbito do capitalismo e, por extensão, das sociedades capitalistas mais desenvolvidas; um terceiro aspecto, e que analisaremos mais detidamente, diz respeito à questão do local de trabalho, da empresa, da fábrica, da produção como locus fundamental da luta pela emancipação dos trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Como Citar

Rodrigues, I. J. (2009). Estratégia operária e neocapitalismo . Tempo Social, 21(1), 51-64. https://doi.org/10.1590/S0103-20702009000100004

Edição

Seção

Homenagem a André Gorz