Trabalho feminino e tecnologia: a imagem da alteridade

  • Alice F. Itani École des Hautes Études en Sciences Sociales
Palavras-chave: Trabalho feminio, Tecnologia, Distinção, Gênero, Identidade, Transportes

Resumo

A introdução de inovações tecnológicas nos sitemas produtivos mantém a divisão de espaços profissionais entre os gêneros e coloca questões às ciências sociais. Uma distinção entre o trabalho feminino e masculino perpassa as novas competências requeridas, como uma construção social que repousa na representação do feminino como negativo da qualificação. O presente texto baseia-se numa pesquisa realizada no metrô de São Paulo entre 1985 e 1989. Constitui uma tentativa de contribuir para uma reflexão em torno do conteúdo da separação dos espaços profissionais entre tabalho feminino e masculino, acompanhando a oposição à entrada das mulheresno trabalho envolvendo qualificação técnica. A atitude contra a "invasão feminina" que, se representa como uma atitude de defesa de espaços profissionais é também de defesa do coletivo. E, ainda, de resistência à uma re-elaboração do "fazer" enquanto competência profissional concebido no masculino e, por conseguinte, uma atitude de resistência contra o viver a alteridade que a "condutora" representa na subversão da identidade masculina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice F. Itani, École des Hautes Études en Sciences Sociales
Doutora em Ciências Sociais pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Pesquisadora do Projeto Trabalho e Transportes financiado pelo CNPq
Como Citar
Itani, A. (1). Trabalho feminino e tecnologia: a imagem da alteridade. Tempo Social, 4(1/2), 133-154. https://doi.org/10.1590/ts.v4i1/2.84932
Seção
Artigos