Reflexões sobre as condições sociais de produção da sociologia da educação: primeiras aproximações

  • Luiz Antonio Cunha Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Educação, Sociologia da Educação, Universidade, Reforma universitária, Pesquisa acadêmica, Diletantismo docente

Resumo

A despeito do notável desenvolvimento da pesquisa universitária no Brasil dos anos recentes, a educação é muito pouco valorizada como objeto de pesquisa e de especialização temática pelos sociólogos brasileiros. A situação já foi diferente tendo sico a Sociologia da Educação campo fecundo de produção de conhecimento nos anos 1950 e 60. O artigo procura pôr o problema dessa desvalorização, de forma a tentar explicá-la a partir das condições sociais de produção imediatamente universitárias, ligadas à organização interna do ensino e da pesquisa, à "nova" divisão social do trabalho acadêmico, resultante da Reforma Universitária de 1968 patrocinada pelo regime militar, que criou as Faculdades de Educação. No decorrer da explanação, o autor enfatiza, como problema correlato, o diletantismo docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Antonio Cunha, Universidade Federal Fluminense
Sociólogo, professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense
Como Citar
Cunha, L. A. (1). Reflexões sobre as condições sociais de produção da sociologia da educação: primeiras aproximações. Tempo Social, 4(1/2), 169-182. https://doi.org/10.1590/ts.v4i1/2.84934
Seção
Artigos