[1]
I. Anchieta, “A sociedade de rostos. Mulheres sem rosto como indício de novo humanismo nas redes sociais”, Tempo Soc., vol. 28, nº 3, p. 243-261, dez. 2016.