Portal da USP Portal da USP Portal da USP

A rota e o roteiro: fuga para as Índias de Gonçalo M. Tavares e Luís de Camões

Evelyn Blaut Fernandes

Resumo


Para ler a epopeia de Gonçalo M. Tavares como remake da viagem camoniana é preciso considerar a (der)rota canônica de Vasco da Gama, uma vez que o processo de composição de Uma viagem à Índia demonstra similares estratégias literárias utilizadas na épica camoniana. Ao reinventar referências hiper-textuais, este procedimento reproduz as problemáticas que reescrevem agenciamentos parodísticos com a epopeia quinhentista e com o Ulisses de James Joyce. No entanto, a (contra)epopeia escrita por Gonçalo M. Tavares subverte as versões épicas da viagem através do (anti)heroísmo do seu protagonista que peregrina pelo desencantado século XXI.


Palavras-chave


ficção portuguesa contemporânea, epopeia, literatura de viagem, referência hiper-literária, Os Lusíadas no século XXI

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/va.v0i30.107997

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Evelyn Blaut Fernandes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

______________________________________________________

  • ISSN: 1516-5159 (nºs 1-24, impresso, printed)
  • ISSN: 2317-8086 (OJS) 
        CELP - FACEBOOK
_____________________________________________________