LITERATURA E PENSAMENTO POLÍTICO EM DOIS ROMANCES DE DYONÉLIO MACHADO

  • Marcus Rogerio Salgado Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Literatura brasileira, literatura e política, literatura e ideologia

Resumo

O objetivo do artigo é apresentar um estudo sobre as formas de articulação do texto literário com o pensamento político nas obras Endiabrados e Proscritos, do escritor sul rio-grandense Dyonélio Machado. Escritos entre finais dos anos de 1950 e a década de 1960, os romances propõem um painel onde é representada a dinâmica sociopolítica do Brasil naquele período histórico. Uma de suas particularidades é a presença de um personagem escritor, por meio do qual abrem-se potencialmente as possibilidades de debate sobre o papel do intelectual na sociedade de classes.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Rogerio Salgado, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Ciência da Literatura (UFRJ). Autor de A vida vertiginosa dos signos (2007) e A arqueologia do resíduo: os ossos do mundo sob o olhar selvagem (2013), ambos livros de ensaios. Lecionou Literatura Brasileira e Teoria da Literatura em diversas instituições nacionais (UFF; UnB) e internacionais (Universidade de Santiago de Compostela). Atualmente é professor de Literatura Brasileira no Departamento de Letras Vernáculas da UFRJ. 

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Salgado, M. R. (2017). LITERATURA E PENSAMENTO POLÍTICO EM DOIS ROMANCES DE DYONÉLIO MACHADO. Via Atlântica, (31), 95-111. https://doi.org/10.11606/va.v0i31.127321
Seção
Dossiê 31: Literatura e Política nos países de língua portuguesa