CELEBRAÇÃO QUEER NA FICÇÃO DE DULCE MARIA CARDOSO

Palavras-chave: Dulce Maria Cardoso, género, sexualidade, queer

Resumo

Na ficção de Dulce Maria Cardoso, deparamo-nos com uma poética da subversão aqui analisada à luz da teoria queer, evidenciando-se o modo como os protagonistas assumem posições que funcionam como actos de resistência à ordem opressora e limitadora das liberdades individuais. Se, por um lado, nos defrontamos com um discurso que evidencia claras dicotomias de género, assistimos, por outro, à emergência de figuras que participam na desconstrução dos binarismos veiculados pela ordem dominante. Ao recusarem modelos de comportamento socialmente instituídos, estas identidades abalam os fundamentos do patriarcado, contribuindo para a afirmação de tendências emancipatórias  num país em plena mutação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Araujo da Silva, Université Paris Sorbonne Paris IV

Professora Associada na Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV). Actual membro do CRIMIC da Universidade Paris-Sorbonne, trabalha sobre literatura portuguesa contemporânea e interessa-se particularmente pela escrita de autoria feminina e questões de género. Última publicação (em colaboração com Maria Graciete Besse): Femmes oubliées dans les arts et les lettres au Portugal (XIXe-XXe siècles), Paris, Indigo&CôtéFemmes, 2016.

Publicado
2018-09-11
Como Citar
Silva, M. (2018). CELEBRAÇÃO QUEER NA FICÇÃO DE DULCE MARIA CARDOSO. Via Atlântica, (33), 21-35. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/135336
Seção
Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro