IMPÉRIOS EM CRISE E “PAIS FALHANDOS”: PATRILINEARIDADE E MASCULINIDADE N’ OS LUSÍADAS

Palavras-chave: império, masculinidade, Os Lusíadas

Resumo

O poema épico Os Lusíadas reflecte a masculinidade imperial em meados do século XVI através da narração gloriosa dos feitos do Vasco da Gama e dos seus sucessores. No entanto, Camões expressa simultaneamente a sua preocupação com uma perda da glória e do poder, e é possível fazer uma analogia entre a efeminação e a fraqueza do império. Concretamente, os cantos IX e X podem ser lidos como uma retórica de encorajamento a D. Sebastião para assumir o seu papel de ser o pai da nação. Este ensaio foca particularmente na construção patrilinear e demonstra como kleos (a glória heróica que é passada de pai para filho) se desfaz durante as conquistas imperiais, revelando um império em crise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Saive Castro, Universiteit Antwerpen

Denise Saive obteve seu M.A. em Literatura Portuguesa na Universidade de Utrecht e seu Ph.D. em Literaturas Lusófonas na Universidade de Wisconsin-Madison. Leccionou vários cursos de Língua Portuguesa, de Cultura Brasileira e de Literatura Portuguesa na Universidade de Wisconsin - Madison e na Universidade de Antuérpia. É presentemente investigadora associada na Universidade de Antuérpia. É também co-editora de The Literary Encyclopedia: African Lusophone Literatures and Cultures. Os seus interesses de pesquisa focam-se na literatura lusófona, sobretudo na história dos primeiros encontros entre culturas, nas representações de raça, e nos estudos de género.

Publicado
2018-09-11
Como Citar
Saive Castro, D. (2018). IMPÉRIOS EM CRISE E “PAIS FALHANDOS”: PATRILINEARIDADE E MASCULINIDADE N’ OS LUSÍADAS. Via Atlântica, (33), 324-341. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/140204
Seção
Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro