LEITURA DE ARA À LUZ DA TEORIA QUEER

Palavras-chave: Ara, teoria queer, norma social

Resumo

No presente trabalho, faz-se uma leitura da obra Ara, de Ana Luísa Amaral à luz da teoria queer, que se aplica à questão das entidades de género que emergiu dos trabalhos desenvolvidos pelos estudos gay e lésbicos e que não pode ser dissociada da teoria feminista, uma vez que ambas surgiram a partir de reflexões sobre a dificuldade dos grupos minoritários terem voz e se representarem dentro de uma linguagem e de uma sociedade falogocêntrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Ferreira, Universidade de Aveiro

Doutoranda do programa doutoral em Estudos Culturais em parceria entre a Universidade de Aveiro e a Universidade do Minho, é membro da equipa do Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro. Publicações recentes relacionam-se com as seguintes temáticas: semiótica, estudos dos media, teoria queer, questões de género e direitos humanos. 

Aline Ferreira, Universidade de Aveiro
Professora Associada na Universidade de Aveiro onde lecciona Literatura Inglesa e Estudos Culturais. As suas principais áreas de interesse incluem as intersecções entre a literatura e a ciência e a literatura e as artes visuais, utopias feministas e biodistopias. O seu livro I Am the Other: Literary Negotiations of Human Cloning foi publicado pela Greenwood Press em 2005. Publicações recentes incluem artigos sobre utopias feministas, distopias biotecnológicas e bioarte. Está agora a escrever um livro provisoriamente intitulado The Sexual Politics of the Artificial Womb: Fictional and Visual Representations
Publicado
2018-09-11
Como Citar
Ferreira, H., & Ferreira, A. (2018). LEITURA DE ARA À LUZ DA TEORIA QUEER. Via Atlântica, (33), 171-183. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/140234
Seção
Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro