DIVERGÊNCIAS E CONVERGÊNCIAS NO FILME A OUTRA MARGEM, DE LUÍS FILIPE ROCHA

Palavras-chave: margem, diferença, norma, homossexualidade

Resumo

Em A outra margem, Luís Filipe Rocha conta a aventura humana de seres que a sociedade remeteu para as margens, por os considerar como aberrações, deficientes ou em falta. Ricardo, travesti homossexual, Vasco, seu sobrinho que sofre de trissomia 21, Maria, mãe solteira, e o transsexual Luís/Carla representam um desvio em relação à norma (o modelo heteronormativo, a lógica produtivista, a moral tradicional). Se o rio, imagem central no filme, separa, é também à beira dele que ocorrem muitos reencontros. Os próprios “marginais” aprenderão a conhecer-se mutuamente e a aceitar a alteridade do outro. Uma das pontes que os aproximará é a arte, crucial na (re)construção das respetivas identidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Alexandre Rodrigues Sobreira, Universidade de Lille3
Professor Auxiliar (Maître de Conférences) na Universidade de Lille. Membro do Laboratório de Pesquisa CECILLE  EA 4074 (Centre d’Études en Civilisations, Langues et Lettres Étrangères).
Publicado
2018-09-11
Como Citar
Sobreira, L. (2018). DIVERGÊNCIAS E CONVERGÊNCIAS NO FILME A OUTRA MARGEM, DE LUÍS FILIPE ROCHA. Via Atlântica, (33), 379-390. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/140257
Seção
Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro