“EACH MAN KILLS THE THING HE LOVES”: UMA LEITURA QUEER DE “O BERLOQUE VERMELHO” DE SILVA PINTO

Palavras-chave: Homossexualidade, masculinidade, queer, ficção, Portugal.

Resumo

“O berloque vermelho”, de Silva Pinto, constitui, presumivelmente, a primeira expressão da relação erótica entre dois homens apresentada na primeira pessoa em literatura portuguesa. Uma leitura queer deste conto permite lançar luz sobre a masculinidade gay, na época em que a categoria de homossexualidade estava a ser forjada, mas ainda não assimilada pela scientia sexualis, a sociedade e a cultura lusas. Contemporâneo das primeiras representações literárias e mediáticas da homossexualidade, o conto antecede a primeira controvérsia nacional inerente ao processo da sua juridificação e psiquiatrização, em que participará o seu autor, com notável repercussão na futura perceção dos homossexuais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

António Fernando Cascais, Universidade Nova de Lisboa. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Departamento de Ciências da Comunicação

Universidade Nova de Lisboa

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas

Departamento de Ciências da Comunicação

Ciências da Comunicação

Estudos de Género

Teoria Queer

História, Filosofia e ètica das Ciências e das Técnicas

Comunicação da Ciência

 

 

Publicado
2018-09-11
Como Citar
Cascais, A. (2018). “EACH MAN KILLS THE THING HE LOVES”: UMA LEITURA QUEER DE “O BERLOQUE VERMELHO” DE SILVA PINTO. Via Atlântica, (33), 95-112. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/141134
Seção
Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro