ENTRE O AMOR E O CRIME: A PARTICIPAÇÃO DA LITERATURA E DA IMPRENSA NO PROCESSO DE ADULTÉRIO DE CAMILO E ANA PLÁCIDO

  • Andreia Alves Monteiro de Castro Polo de Pesquisas Luso-Brasileiras – Real Gabinete Português de Leitura- PPLB/RGPLPesquisadora Associada do Centro de Letras Clássica do Faculdade de Letras de Lisboa - FLUL http://orcid.org/0000-0002-2586-6789
Palavras-chave: crime, literatura, imprensa periódica, romance camiliano, escrita feminina

Resumo

Sentindo na pele todas as penalidades infligidas àqueles que não se encaixavam no padrão, Camilo ao ser preso como corréu na querela movida por Pinheiro Alves, marido de Ana Plácido, empunhou em sua defesa as mesmas armas empregadas para aniquilar publicamente os criminosos. O escritor e a amada, contando com a ajuda de amigos respeitados e letrados, moveram através da imprensa periódica e de sua própria literatura uma campanha baseada na ideia de que o adultério era quase uma consequência dos casamentos baseados em conveniências financeiras, que excluíam o amor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Alves Monteiro de Castro, Polo de Pesquisas Luso-Brasileiras – Real Gabinete Português de Leitura- PPLB/RGPLPesquisadora Associada do Centro de Letras Clássica do Faculdade de Letras de Lisboa - FLUL

Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2017). Mestra em Literatura Portuguesa pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2010). Graduada em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa - pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Licenciada em Letras pela Universidade Cândido Mendes (2009). No momento atua como Professor Docente de Língua Portuguesa e Literatura na Rede Estadual de Ensino. Membro do Polo de Pesquisa de Relações Luso-Brasileiras do Real Gabinete Português de Leitura. Membro associado ao Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Publicado
2018-12-21
Como Citar
Castro, A. (2018). ENTRE O AMOR E O CRIME: A PARTICIPAÇÃO DA LITERATURA E DA IMPRENSA NO PROCESSO DE ADULTÉRIO DE CAMILO E ANA PLÁCIDO. Via Atlântica, (34), 49-60. https://doi.org/10.11606/va.v0i34.144352
Seção
Dossiê 34: Literatura e Jornalismo: suportes e fronteiras