UM HOMEM GASTO: NATURALISMO, HISTORIOGRAFIA LGBT E PRIMEIRA RECEPÇÃO CRÍTICA

Autores

  • Helder Thiago Maia Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i33.145475

Palavras-chave:

higienismo, naturalismo, um homem gasto, historiografia LGBT, recepção crítica

Resumo

Neste artigo, traço um paralelo entre a utopia higienista e o naturalismo literário através do livro Um homem gasto: episodio da historia social do XIX seculo (1885), do médico carioca Ferreira Leal, apostando em um continum entre essas textualidades. Aponto também para o lugar da obra no contexto de sua produção e na historiografia literária lgbt, assim como abordo a recepção do livro através das primeiras críticas dos jornais cariocas A Semana e Jornal do Commercio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helder Thiago Maia, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Literatura Comparada pela UFF (Universidade Federal Fluminense). Autor do livro "O devir darkroom e a literatura hispano-americana".

 

Downloads

Publicado

2018-09-11

Como Citar

Maia, H. T. (2018). UM HOMEM GASTO: NATURALISMO, HISTORIOGRAFIA LGBT E PRIMEIRA RECEPÇÃO CRÍTICA. Via Atlântica, (33), 273-283. https://doi.org/10.11606/va.v0i33.145475

Edição

Seção

Dossiê 33: Queerizar o cânone luso-afro-brasileiro