PERSUASION E TRADIÇÃO: A QUESTÃO DA AUTORIA FEMININA

  • Débora Tavares FFLCH USP
  • Nara Luiza do Amaral Dias USP
Palavras-chave: Antonio Candido, Jane Austen, autoria feminina, mulheres, tradição

Resumo

Pensar os desdobramentos sociais do texto e o caráter emancipatório da literatura foi uma das maiores contribuições de Antonio Candido para a teoria literária —brasileira e mundial. Aplicando técnicas de análise propostas pelo crítico, o artigo investiga a formação de uma tradição feminina vinculada ao surgimento do romance. Para isso, foi analisada obra Persuasion, de Jane Austen. Em sua estrutura interna, a narrativa traz uma discussão sobre o lugar da mulher num contexto editorial de monopólio masculino; nela, a voz da escritora, que enfrentou o desafio da autoria, perpassa a fala da heroína, refletindo sobre as relações entre gênero e o controle da produção de informação e arte.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Tavares, FFLCH USP

Mestre e doutoranda em Letras pela Universidade de São Paulo.

Nara Luiza do Amaral Dias, USP

Mestre em Letras pela Universidade de São Paulo.

Publicado
2019-07-10
Como Citar
Tavares, D., & Dias, N. L. (2019). PERSUASION E TRADIÇÃO: A QUESTÃO DA AUTORIA FEMININA. Via Atlântica, (35), 121-135. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/154998