CANDIDO, O ESTRUTURALISMO E A GUERRILHA

  • Cristiano Augusto da Silva Universidade Estadual de Santa Cruz
Palavras-chave: Antonio Candido, parecer, Em câmara lenta, Renato Tapajós, Ditadura civil-militar

Resumo

O artigo objetiva discutir o parecer de Antonio Candido sobre o livro Em câmara lenta (1977), de Renato Tapajós. O governo militar o acusara de publicar obra subversiva que atentava contra a Lei de Segurança Nacional. O texto em questão fora solicitado pela defesa do escritor a fim de mostrar que Em câmara lenta não seria capaz de arregimentar leitores para a guerrilha, mas peça de ficção na qual Tapajós realiza uma autocrítica da opção pela luta armada. O parecer de Candido foi fundamental para a libertação do autor e da obra. Nossa hipótese entende que Antonio Candido elaborou, intencionalmente, um parecer estratégico com um viés estruturalista, não dialético, contrariando suas convicções, com o objetivo maior de auxiliar na libertação do escritor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Augusto da Silva, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professor Titular de Literatura Brasileira na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC-BA)

Publicado
2019-07-10
Como Citar
da Silva, C. (2019). CANDIDO, O ESTRUTURALISMO E A GUERRILHA. Via Atlântica, (35), 87-104. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/155033