A TRANSFIGURAÇÃO DO SOCIAL NO ROMANCE O BERRO DO CORDEIRO EM NOVA YORK

Palavras-chave: Antonio Candido, onomástica literária, Literatura e Sociedade, O berro do cordeiro em Nova York, Tereza Albues

Resumo

Com base nas considerações de Candido sobre sociedade e sobre literatura, propôs-se, na dissertação Nomes próprios no romance contemporâneo O Berro do Cordeiro em Nova York um modelo analítico de nomes mimético-conotativos em continuum. Parte dessa análise aperfeiçoa-se neste artigo, na confirmação do fenômeno de internalização do social na estrutura literária, a partir da alegorização onomínica das relações sociais opressoras. Assim, neste estudo pretende-se exemplificar o processo alegórico-social do nome próprio no romance O berro do Cordeiro em Nova York, bem como confirmar que a realidade externa à obra age estruturalmente e determina sua temática social transformadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Kristensen de Camargo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestra em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2018), na área de Linguagem: práticas culturais e de ensino. 

 
Márcia Sipavicius Seide, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Letras, Língua Portuguesa e Filologia Romana pela FFLCH, USP (2006), com pós-doutorado em Linguística pela UFSC (2015). Atualmente é docente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Unioeste (Campus de Cascavel) e do Colegiado de Letras a Unioeste (Campus de Marechal Cândido Rondon), e membro efetivo do GT da Anpoll Lexicologia, Lexicografia e Terminologia desde (2007).   

Publicado
2019-07-10
Como Citar
Kristensen de Camargo, A., & Sipavicius Seide, M. (2019). A TRANSFIGURAÇÃO DO SOCIAL NO ROMANCE O BERRO DO CORDEIRO EM NOVA YORK. Via Atlântica, (35), 27-41. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/155043