ESPAÇOS DE PERTENCIMENTO: PALMARES E PINDJIGUITI NA POESIA AFRO-BRASILEIRA E NA GUINEENSE

  • Moema Parente Augel Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa da Guiné-Bissau (INEP), Bielefeld, Alemanha
Palavras-chave: Palmares, Pindjiguiti, Lu tas libertárias, literatura guineense, literatura negro-brasileira

Resumo

O ARTIGO TRAÇA UM PARALELO DO TRATAMENTO LITERÁRIO DISPENSADO A DOIS ACONTECIMENTOS MARCANTES PARA A HISTÓRIA DO BRASIL E DA GUINÉ-BISSAU , ENQUANTO ESPAÇOS DE PERTENCIMENTO. NA GUINÉ-BISSAU PINDJIGUITI É UM SÍMBOLO NACIONAL; NO BRASIL, PALMARES E SEUS HERÓIS ESTÃO LIGADOS SOBRETUDO ÀS LUTAS E REIVINDICAÇÕES DA POPULAÇÃO AFRODESCENDENTE. ENTRETANTO, O EPISÓDIO E SUAS CONSEQUÊNCIAS NÃO SÃO ASSUMIDOS COMO SÍMBOLOS DE BRASILIDADE, SENDO TEMATIZADOS QUASE EXCLUSIVAMENTE POR INTELECTUAIS, ESCRITORES, MÚSICOS NEGRO-BRASILEIROS.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-12-21
Como Citar
Augel, M. (2012). ESPAÇOS DE PERTENCIMENTO: PALMARES E PINDJIGUITI NA POESIA AFRO-BRASILEIRA E NA GUINEENSE. Via Atlântica, (22), 99-114. https://doi.org/10.11606/va.v0i22.51684
Seção
Dossiê 22: diálogos em língua portuguesa – África e Brasil